É sabido que a convivência entre Mandetta e Bolsonaro já vinha se complicando no decorrer das últimas semanas, até porque os dois não tinham o mesmo ponto de vista a respeito do combate ao novo coronavírus, visto que o ministro da saúde sempre apoiou o isolamento social, indo contra a opinião do presidente, que insiste em alegar que a covid-19 não é uma doença série, deixando claro seu desejo de que todos voltem aos seu trabalhos normalmente para que não ocorra uma crise financeira no país.

O presidente Jair Bolsonaro demitiu nesta quinta-feira (16) Luiz Henrique Mandetta, ministro da Saúde.

A notícia foi dada pelo próprio ministro nas redes sociais, ele já estava prevendo isso e até já comentou em entrevistas anteriores suas suspeitas de quem poderia ser o futuro Ministro da Saúde. Mandetta postou que havia acabado de saber de sua demissão e fez vários agradecimentos pela oportunidade recebida e a todos aqueles que o apoiaram, ele ainda conclui com um apelo religioso pedindo bênçãos para todo o país.

Ademais, é de conhecimento de todos que Mandetta ganhou grande notoriedade durante a crise do novo coronavírus, porém ele e o presidente tiveram várias divergências que confundiram e ainda confundem os pensamentos da população, que não sabe se ouve o ministro da Saúde ou se escuta o presidente.

Porém, o ministro também chegou a alegar que pessoas cotadas a ocupar seu posto chegaram a ligar para ele para poder pedir orientação, portanto Mandetta esclarece que ele e sua equipe trabalharão em conjunto com os substitutos para evitar que a crise da doença complique mais durante este período de transição.

Nelson Teich está sendo cotado para ocupar cargo de Mandetta

Ademais, até o momento o oncologista Nelson Teich está sendo o mais cotado para ocupar o cargo de ministro da Saúde, e o que se sabe é que ele tem ideias parecidas com as de Mandetta, pois em artigos recentes elaborados por Nelson Teich deixa claro seu apoio ao isolamento horizontal, quem também contraria a ideia de Bolsonaro de isolamento vertical, e em declarações nas redes sócias esclareceu que para enfrentar a crise de covid-19 não deve se contabilizar apenas fatores econômicos ou fatores sanitários.

Porém, Bolsonaro segue firme com a ideia de isolamento vertical, apenas para idosos e grupos de riscos, para que a outra parte da população volte ao trabalho e não ocorra uma crise financeira em todo o país.

Por fim, ainda não há nada oficializado pelo Palácio do Planalto a respeito da nomeação do oncologista Nelson Teich para ministro da Saúde e tão pouco sobre a reunião com o presidente Jair Bolsonaro. A notícia não oficializada tem gerado muita polêmica na mídia e redes sociais.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!