Em meio à pandemia do novo coronavírus que vem gerando um grande caos no Brasil o no mundo, o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), tomou a decisão de demitir o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, nesta quinta-feira (16). A informação sobre o ocorrido foi divulgada pelo próprio ministro, em suas redes sociais.

Mandetta desabafou, dizendo que havia acabado de ouvir do presidente Jair Bolsonaro o aviso de sua demissão do Ministério da Saúde. O profissional ainda aproveitou a publicação para poder agradecer a oportunidade que lhe foi concedida, conseguindo ser gerente do SUS, e tentar melhorar o projeto de saúde da população brasileira, planejando um grande enfrentamento contra a pandemia da Covid-19.

Continuando com seu desabafo, Mandetta ainda agradeceu pela equipe que esteve ao seu lado durante toda a sua gestão no Ministério, desejando êxito para aqueles que irão ocupar o cargo que lhe foi retirado. Mandetta ainda afirmou rogar a Deus para abençoar a pátria.

Luiz Henrique Mandetta, ex-deputado federal, foi colocado à frente do ministério desde o inídio da gestão de Jair Bolsonaro, em janeiro de 2019.

No entanto, o político acabou ganhando grande visibilidade por sua luta diante da crise do novo coronavírus, algo que mostrou desagradar o presidente da República. Durante a tarde desta quinta-feira (16), o profissional foi chamado até o Planalto para poder realizar um último diálogo com Bolsonaro.

Durante as últimas semanas, divergências entre os dois políticos puderam ser notadas, com ambos mostrando ter estratégias distintas para poder conter o avanço da pandemia que vem se alastrando no Brasil.

Luiz Henrique Mandetta havia realizado uma entrevista para o programa "Fantástico", da Rede Globo, no último domingo (12), na qual disse que os cidadãos brasileiros não sabem se escutam Bolsonaro ou o ministro da Saúde, referindo-se às medidas contra a pandemia.

O último dia

Durante a manhã desta quinta-feira (16), o ministro da Saúde havia realizado um seminário virtual com o intuito de dialogar sobre o enfrentamento da doença.

No desenrolar do bate-papo, Mandetta ainda comentou sobre as mudanças que seriam realizadas no ministério, mais cedo ou mais tarde.

Enquanto Mandetta realiza o seminário, Jair Bolsonaro recebia no Palácio do Planalto o oncologista Nelson Teich. O profissional é um médico que atua na capital paulista, desembarcando em Brasília e, no momento, se tornando a pessoa mais cotada para assumir o ministério deixado por Mandetta.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!