Durante uma entrevista concedida para o site UOL, o deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ), comentou sobre a saída de Sergio Moro do cargo de ministro da Justiça e Segurança e afirmou que ele nunca exerceu a função parlamentar que foi atribuída pelo atual presidente da república Jair Messias Bolsonaro (sem partido).

"Sergio Moro, em relação à morte Marielle, nunca se envolveu como ministro, ele nunca quis saber o que aconteceu. A partir do momento que esbarrou em familiares, pessoas próximas (a Bolsonaro) por conta do depoimento do porteiro, ele tentou federalizar o crime. Nem mesmo auxiliar a Polícia Civil, que deveria ser o seu papel'', disse o deputado federal.

Segundo o deputado, quando o ex-juiz federal entrou no Governo de Bolsonaro, muitos políticos pediam para que o parlamentar agilizasse as investigações do caso Marielle, mas Sergio Moro nunca atualizava as informações do inquérito policial.

Sobre a saída de Moro do governo, o deputado federal ainda chegou a concluir que ele não fez um bom trabalho e nem que contribuiu para a população brasileira. Nas últimas semanas, Marcelo Freixo tem se mostrado bastante participante nos problemas que vem acontecendo no Brasil, também em relação à nova forma de Bolsonaro administrar o país.

Diariamente o deputado federal usa as redes sociais para se posicionar a respeito de algo. Sobre as críticas realizadas por Freixo, até o fechamento dessa matéria, o ex-juiz federal ainda não havia se posicionado.

Marielle Franco

Marielle Francisco da Silva, conhecida como Marielle Franco, foi uma socióloga e política brasileira. Filiada ao Partido Socialismo e Liberdade, elegeu-se vereadora do Rio de Janeiro para a Legislatura 2017-2020. Após sair de uma reunião na Alerj (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro), Marielle entrou em um carro de aplicativo (Uber) para ir embora, mas acabou sendo surpreendida por homens armados durante o trajeto.

A política e o motorista de aplicativo acabaram sendo alvejados com os disparos de arma de fogo e morreu no local antes mesmo da chegada do atendimento médico. Na época, Marielle ganhou bastante destaque na mídia nacional e até mesmo na imprensa internacional. Muitas autoridades governamentais do exterior cobravam agilidade para desvendar quem mandou matar Marielle, mas esse caso nunca foi descoberto.

Com isso, muitos movimentos nas redes sociais foram criados, com intuito de pedir justiça por um crime que não foi descoberto pela Polícia Civil. Uma pessoa que residia no mesmo condomínio que o atual presidente da república acabou sendo preso por ligação ao crime, mas o mandante do assassinato nunca foi descoberto.

Siga a página Sergio Moro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!