Nesta terça-feira (12), o Ministério da Defesa divulgou uma nota a respeito dos militares das Forças Armadas que receberam o auxílio emergencial. O benefício é uma ajuda de custo fornecida pelo Governo para ajudar pessoas que trabalham de forma autônoma e estão sem trabalhar por conta da paralisação das atividades profissionais, diante da proliferação do novo coronavírus. Alguns trabalhadores serão ajudados com R$ 600 mensais (por três meses).

Por isso, muitos miliares se aproveitaram e resgataram o dinheiro de forma irregular. O Ministério da Defesa está apurando os militares envolvidos no caso e todos terão que devolver o valor recebido.

"Os Ministérios da Defesa (MD) e da Cidadania (MC) informam que, dos quase 1,8 milhão de CPFs constantes da base de dados do MD, 4,17% (73.242) receberam o auxílio emergencial concedido pelo Governo Federal'', diz parte da nota. Isso inclui militares (ativos e inativos, temporários e de carreira), anistiados, pensionistas e dependentes.

Bolsonaro comenta sobre o caso

Na manhã desta quarta-feira (13), o presidente Jair Bolsonaro se posicionou sobre o recebimento irregular do benefício por parte de militares. Segundo palavras proferidas pelo presidente, os militares que receberam o auxílio emergencial são aqueles que estão cumprindo o serviço obrigatório, aqueles jovens que completam 18 anos e precisam cumprir com as obrigações como cidadão.

De acordo com o governo, 73.242 militares receberam o auxílio. São “jovens que prestam o serviço militar obrigatório”, comentou Bolsonaro.

"Não fala militares, não. É o praça prestador do serviço militar inicial. Mais ou menos 3% da garotada que presta o serviço militar obrigatório, e são pessoas oriundas das classes mais humildes da população, são os mais pobres'', finalizou o presidente Jair Bolsonaro.

Auxílio emergencial

Inicialmente, o auxílio emergencial seria disponibilizado por três meses. No entanto, a equipe econômica estuda ampliar o pagamento. Uma das opções é prorrogar o benefício por mais dois ou três meses.

A primeira parcela do benefício foi paga em abril. A previsão de pagamento da segunda ainda não foi divulgada, e o governo também não informou quando deverá informar as datas.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!