O assunto que repercutiu nessa semana foi a possível demissão de Sergio Moro. Segundo informações, Moro teria sido surpreendido com as publicações desta sexta-feira (24), a respeito da exoneração de Valeixo, até então diretor-geral da Polícia Federal.

Moro havia anunciado que, caso Valeixo fosse retirado do comando da PF, ele pediria a demissão como ministro da Justiça no Governo de Bolsonaro. Moro não havia estado de acordo com a decisão do presidente quanto a Valeixo.

Sergio Moro deixa governo Bolsonaro

Moro convocou uma coletiva de imprensa na manhã desta sexta-feira para anunciar sua renúncia ao cargo.

A exoneração formal do ex-diretor-geral foi assinada por Bolsonaro e Moro, mas, segundo informações, a assinatura do ministro só aparece por mera formalidade, necessária, isso porque a Polícia Federal é responsabilidade do ministro da Justiça.

Houve rumores de que a demissão de Valeixo teria sido pedida pelo próprio, porém, outras fontes alegaram que o mesmo não tinha pretensão de pedir demissão, e que a decisão não foi dele. A decisão repentina pegou Moro de surpresa, pois segundo ele, apesar de já ter conhecimento do pedido, não esperava que fosse já nessa sexta-feira.

Bolsonaro já queria exoneração de Valeixo

Não é de agora a decisão do presidente quanto à exoneração de Valeixo, tendo isso em mente desde agosto de 2019.

Na época, houve pessoas que persuadiram o presidente para desistir da decisão, que foi adiada e tomada nesse momento. Bolsonaro já havia avisado a Moro que Valeixo seria substituído em uma reunião, que aconteceria na quinta-feira, pela manhã, por volta das 9h. O ex-diretor-geral era braço direito de Moro, de confiança, e por isso o mesmo não aceitou a exoneração do colega.

Vale lembrar que Moro é um dos aliados mais fiéis a Bolsonaro, mas que vem tendo desavenças com o atual presidente desde a decisão de fazer alterações na PF. Segundo informações, Bolsonaro teria publicado a exoneração de Valeixo como ‘’a pedido’’ e durante algumas discussões que ainda ocorriam, e por esse motivo, por também haver sido pego de surpresa, Moro entendeu que ficaria insustentável sua permanência no governo.

Moro era o ministro mais influente e ‘famoso’ do governo Bolsonaro, isso porque o índice de aprovação do mesmo foi superior ao do próprio presidente, sendo de pelo menos 53% da população o avaliando como "ótimo ou bom".

Sobre a demissão de Valeixo, Bolsonaro havia dito que a decisão não cabia ao Moro, mas sim a ele, como presidente. Uma das falas do presidente no início do mês causou repercussão. "Algumas pessoas do meu governo, algo subiu à cabeça deles. Estão se achando demais. Eram pessoas normais, mas, de repente, viraram estrelas, falam pelos cotovelos, têm provocações’’, alegou o presidente diante de alguns religiosos que estavam em frente ao Palácio.

Siga a página Sergio Moro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!