No último domingo (17), uma apoiadora do presidente Jair Bolsonaro agrediu uma repórter da Band News TV com uma bandeira. A agressão em questão aconteceu durante mais uma manifestação a favor do Governo federal, que aconteceu durante a tarde na cidade de Brasília, em frente ao Palácio do Planalto.

É possível destacar que atualmente grande parte dos brasileiros está em quarentena devido ao novo coronavírus. Entretanto, os apoiadores de Bolsonaro têm se recusado a escutar as recomendações de autoridades de saúde e ido constantemente às ruas para fazer manifestações favoráveis à gestão do presidente da República.

Assim como em momentos anteriores, que chegaram a contar com a presença do próprio Jair Bolsonaro, o ato a favor do governo também contava com algumas pautas desfavoráveis ao distanciamento social, que o presidente deseja flexibilizar, e contra os ministros do Supremo Tribunal Federal.

Sobre a repórter que foi atingida pela bandeira, é possível afirmar que ela estava olhando o celular e se preparava para entrar ao vivo na Band News TV. Clarissa Oliveira, a repórter em questão, foi atingida pelo mastro da bandeira, em frente ao Planalto. De acordo com a jornalista, a mulher responsável pela bandeira chegou a se desculpar com ela, mas estava rindo.

De acordo com o UOL, através de uma nota enviada ao site pela Band News TV, a emissora lamentou a agressão sofrida pela sua repórter, caracterizada como uma falta de respeito com o jornalismo do canal e ao trabalho da imprensa de uma forma geral.

Também na nota em questão, a emissora informou que realizou um boletim de ocorrência.

Mais detalhes sobre a manifestação de domingo

Também no último domingo, um pouco antes da manifestação, Jair Bolsonaro chegou a parar na portaria do Palácio da Alvorada para falar com alguns dos seus apoiadores, separados do presidente por uma grande de proteção.

Na ocasião, Bolsonaro repreendeu o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, por conversar com os jornalistas que estavam aguardando a saída de Bolsonaro.

Conforme informações fornecidas pelo site UOL, os apoiadores do presidente chegaram a provar a imprensa ao perceber que Jair Bolsonaro não falaria com os repórteres.

Uma criança, que estava acompanhada pelos seus pais, chegou a xingar os veículos de comunicação presentes no local.

É possível afirmar que, no Planalto, Jair Bolsonaro se negou a fazer comentários sobre as declarações de Paulo Marinho, seu ex-aliado, a respeito de Flávio Bolsonaro, filho 01 do presidente. Marinho disse em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo que Flávio foi alertado com antecedência pela PF sobre a Operação Furna da Onça, responsável por atingir seu assessor Fabrício Queiroz.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!