No último domingo (17), foi anunciado pelo site UOL que devido à baixa eficiência no que se refere a manter o isolamento social, o esquema de rodízio estipulado por Bruno Covas, prefeito da cidade de São Paulo, acabou sendo suspenso pela Prefeitura da cidade.

Devido aos fatos destacados anteriormente, na manhã dessa segunda-feira (18), as regras já conhecidas dos moradores da cidade voltaram a entrar em vigor. De acordo com o UOL, uma nova restrição passará a ser definida de acordo com o número do final da placa do veículo e como dia da semana. Tal restrição voltará a valer somente para o centro expandido de São Paulo.

Às segundas-feiras os veículos que possuírem placas com finais 1 e 2 não poderão circular. Às terças-feiras os veículos com placas terminadas em 3 e 4 serão impedidos de rodar pela área. O rodízio segue dessa forma até a sexta-feira, ocasião em que as placas finalizadas em 9 e 0 não circulam pela capital do estado.

É possível afirmar que o rodízio em questão, de segunda a sexta-feira, funciona das 7h às 10h da manhã. No restante do dia, ele fica inativo e volta a valer somente a partir das 17h, se estendendo então até as 20h. A exceção para isso são os feriados.

Rodízio rígido não melhorou o isolamento social

De acordo com Bruno Covas, a sua decisão de suspender o megarrodízio, como as novas regras ficaram conhecidas, está ligada à ineficácia apresentada pela medida em questão.

A partir da decisão citada, Covas ainda pediu para que a população fique em casa mesmo com a suspensão em questão.

Ao fazer o pedido em questão, o prefeito da cidade de São Paulo destacou que a suspensão das novas regras de rodízio não podem servir como desculpa para que mais pessoas ainda estejam nas ruas e se sintam à vontade para fazer isso.

Conforme informações apresentadas pelo UOL, a ineficiência do rodízio pode ser comprovada através dos índices de isolamento social da cidade de São Paulo. Da última sexta-feira (15) ao último domingo (18), o município chegou a registrar uma taxa de isolamento social de 48%, bem abaixo do nível ideal, 70%.

É possível destacar que o índice citado seria considerado o ideal para conseguir abaixar os números relativos à contaminação do novo coronavírus na cidade de São Paulo. De acordo com as informações do UOL, ainda no dia 8 de maio, o isolamento social na capital do estado era de somente 46%.

Por fim, ainda é possível afirmar que a medida imposta por Bruno Covas chegou a sofrer críticas por possuir um suposto caráter elitista, visto que tratava da mesma forma moradores de realidades diferentes e, portanto, poderia prejudicar pessoas que estão nas ruas para realizar serviços essenciais.

Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!