No dia seguinte em que parte da imprensa suspendeu a cobertura no Palácio da Alvorada, o GSI diz que está aperfeiçoando medidas de segurança para garantir que os profissionais da imprensa executem suas funções no local.

GSI vai adotar medidas de segurança para a imprensa

Em nota, o GSI, comandado pelo ministro Augusto Heleno, informou que estarão adotando medidas para garantir a proteção dos presentes: “Continuaremos aperfeiçoando esse dispositivo para que o local permaneça em condições de atender às expectativas de trabalho e de livre manifestação dos públicos distintos que, diariamente, comparecem ao Palácio da Alvorada”.

Assinada pela assessoria de comunicação do gabinete, a nota continua dizendo que são adotadas algumas práticas de segurança em frente ao Palácio da Alvorada, como “registro de inspeção de todos os presentes, inclusive por detector de medida”.

De acordo com o GSI, o uso de máscaras e a manutenção de distanciamento por conta do coronavírus também são algumas das medidas já adotas visando a proteção dos profissionais.

Falta de segurança afasta jornalistas do Alvorada

A nota foi emitida após alguns veículos da imprensa, como Folha de S.Paulo e o Grupo Globo, informarem que deixariam de cobrir o Alvorada diariamente, por falta de segurança.

Outros veículos, como UOL, Correio Braziliense e Band, também anunciaram a decisão.

Os jornalistas responsáveis pela cobertura de assuntos do Governo e que estão diariamente no Alvorada relatam tratamento hostil e xingamento por parte dos apoiadores do presidente Jair Bolsonaro.

O ponto crucial para essa decisão da imprensa, se deu nesta segunda-feira (25), quando, segundo os jornalistas presentes, os insultos se tornaram mais agressivos.

Pouco antes disso, o presidente Jair Bolsonaro ainda criticava a imprensa: “No dia que vocês tiverem compromisso com a verdade, eu falo com vocês de novo” disse, sendo apoiado em coro por parte de seus seguidores.

Afastamento da imprensa é temporário

De acordo com os próprios veículos de comunicação, o afastamento é temporário, priorizando a segurança dos profissionais de imprensa.

Os jornalistas buscam meios de continuar com a cobertura, porém, à distância. Até que essas medidas informadas pelo GSI sejam efetivamente implantadas, os jornalistas seguirão longe do local.

Os ataques à imprensa têm sido frequentes, principalmente durante as coberturas diárias, momento em que os militantes do presidente criticam e insultam jornalistas com atitudes muitas vezes validadas por ele.

Desde a última segunda-feira, diversos jornalistas têm se manifestado através das redes sociais, repudiando o ocorrido e lamentando a falta de segurança para que a imprensa execute seu trabalho.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!