Após ser alvo da Operação Placebo, da Polícia Federal, o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), falou a respeito do presidente da República, Jair Bolsonaro, e o atacou com comentários em relação às ações tomadas pelo presidente.

Witzel declarou que se considera como sendo vítima de perseguição política, e que Bolsonaro acredita que seus filhos são vítimas de perseguição por parte do governador do Rio de Janeiro. "O Bolsonaro acha que eu persigo os filhos dele", disse o governador.

Com essa narrativa, diz Witzel, Bolsonaro conseguiu criar uma decisão juntamente com os procuradores da República para perseguir politicamente o governador do RJ.

A declaração de Witzel aconteceu através de uma entrevista concedida pelo governador do Rio de Janeiro à CNN Brasil.

Polícia Federal faz busca por Witzel

Nesta última terça-feira (26) logo cedo, a Polícia Federal cumprir mandados de busca e apreensão no Palácio Laranjeiras, residência oficial do governador, e no escritório de advocacia onde a esposa de Witzel trabalha.

O governador afirmou que já estava em processo para organizar uma frente onde pediria pelo impeachment de Bolsonaro, pelo qual alegou que o presidente fazia mal a democracia, e que as investigações que são feitas pela Polícia Federal estão sendo vazadas agora.

O governador do Rio de Janeiro ainda alegou que ficava triste com a situação atual do país porque a democracia estava sendo, segundo ele, violentada.

Witzel ainda reforçou que não irá admitir que isso aconteça, e que irá até as últimas consequências para impedir isso.

Ele ainda comunicou que na última semana estava formando uma frente parlamentar em defesa da democracia, para que fosse feito um pedido de impeachment de Bolsonaro, pois ele acredita que o presidente está causando mal para a democracia brasileira, e que a situação está sendo levada como sendo uma guerra política.

Além Disso, Witzel ressaltou que atualmente não compartilha do mesmo pensamento que o presidente brasileiro.

Em uma entrevista à CNN nesta terça-feira (26), a advogada Maria Claudia Bucchianeri havia afirmado que a defesa do governador havia recebido na segunda-feira (25) uma informação de que atualmente não havia nenhum tipo de processo administrativo contra ele.

Ela ressaltou que o acontecimento a operação foi na realidade uma grande surpresa, pelo fato de que há mais de 10 dias a defesa do governador estava peticionando ao STJ.

A advogada destacou que foi pedido acesso aos autos dos respectivos no momento. Maria Claudia destacou ainda que o governador no momento está ansioso e nervoso para prestar os devidos esclarecimentos.

Por mais que tenha sido uma surpresa, Maria Claudia declarou que a operação em questão não conseguiu encontrar indícios de irregularidades que possam ter algum tipo de envolvimento de Witzel. A advogada garantiu que não obtiveram êxito em encontrar algo a respeito do governador que fosse dito como sendo uma irregularidade.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!