O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), foi internado na tarde desta quarta-feira (13), no hospital Sírio-Libanês, no bairro Bela Vista, na capital paulista, para uma avaliação clínica completa. O chefe do executivo paulistano havia sentido dores abdominais e os primeiros resultados dos exames apontaram uma colite.

De acordo com o boletim médico, Covas se “encontra clinicamente muito bem” e está em observação enquanto aguarda a conclusão de exames complementares.

Depois de tratar um câncer na cárdia, transição entre estômago e esôfago, descoberto no final do ano passado, ele continua fazendo imunoterapia contra câncer linfonodos.

Descoberta do câncer de Bruno Covas

Em outubro do ano passado, Bruno Covas deu entrada no hospital com erisipela, que é uma infecção na perna. Posteriormente isso evoluiu para trombose venosa profunda (coágulos) na perna direita. Tais coágulos atingiram o pulmão, causando uma embolia.

Quando os médicos realizavam exames para identificar os coágulos, foi diagnosticado um câncer na cárdia, região entre o estômago e o esôfago, com metástase no fígado. O prefeito então teve que ser submetido a sessões de quimioterapia, mas que segundo os médicos, foram insuficientes para vencer o câncer.

Em 28 de abril, a equipe do Sírio Libanês divulgou um boletim médico informando a necessidade que ele siga com o tratamento de imunoterapia, uma vez que ele ainda continua com câncer nos linfonodos.

Na ocasião Covas foi submetido a exames de controle, dentre os quais ressonância magnética, que apontaram que o tratamento está sendo eficaz no combate ao câncer. Em função desses resultados, foi decidido pela equipe médica que o prefeito seguirá realizando aplicações endovenosas de imunoterapia a cada três semanas.

Queda de 70% nos atendimentos

A pandemia no novo coronavírus causou a queda de 70% do número de atendimentos no Hospital AC Camargo, referência no tratamento do câncer em São Paulo. Os diretores da instituição creditam isso ao fato dos pacientes fazerem parte do grupo de risco e por isso terem ficado com medo de contraírem a Covid-19.

O médico Victor Piana, diretor do hospital, disse em entrevista ao "Bom Dia São Paulo", da Rede Globo, que muitos pacientes estão ouvindo mensagens para ficarem em casa e por isso estão deixando de comparecerem as consultas. Ele entende a importância do isolamento social, mas lembra que se a pessoa tem um câncer diagnosticado, não é o momento de ficar em casa diariamente. “Fique em casa todos os dias, exceto naquele que você precisa vir cuidar do seu câncer”, disse.

Piana disse que o hospital foi preparado para atender os pacientes em todas as suas necessidades durante a pandemia. A instituição atende pacientes da rede pública e privada.

Siga a página Saúde
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!