Mais uma vez o coronavírus pode fazer vítimas no cenário político brasileiro. O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, está internado depois de manifestar sintomas de Covid-19 após ter passado por cirurgia no sábado (23).

Toffoli será afastado por sete dias de suas funções no STF enquanto será monitorado para saber se tem ou não coronavírus e o desenvolvimento dos sintomas que vem apresentando.

Toffoli havia feito cirurgia

No sábado, o presidente do STF precisou ir ao hospital fazer uma cirurgia para a retirada de um pequeno abcesso. Após a operação, no entanto, apresentou sintomas que seriam semelhantes ao do coronavírus e teve que ficar internado em observação.

"O ministro Dias Toffoli precisou ser operado para a drenagem de um abcesso neste sábado. A cirurgia correu bem e, na noite de sábado, o ministro teve sintomas de infecção respiratória que sugeriam contaminação pelo novo coronavírus, devendo permanecer internado para monitoração", diz a nota da secretaria de saúde do STF, emitida por Marco Polo Dias Freitas, titular da pasta.

Segundo a nota, o ministro do Supremo está em bom estado e não necessita de aparelhos para respirar. Mas não há a previsão de que Toffoli [VIDEO] tenha alta para os próximos dias ou de quando sairão os resultados dos exames feitos pelo presidente do STF.

Afastamento por sete dias

Enquanto espera pelos resultados dos exames para saber se tem ou não Covid-19, Toffoli ficará internado.

O presidente do STF já havia feito testes para detecção de coronavírus na quarta-feira (20), estes com resultado negativo.

Mesmo sem a confirmação ainda dos resultados dos testes, o ministro ficará afastado por uma semana de suas funções presidindo o tribunal. Neste tempo. será Luiz Fux o 'interino' no comando do STF até a volta do titular.

Toffoli e a possibilidade de ter coronavírus

Caso os resultados positivos dos exames de Dias Toffoli sejam positivos, o presidente do Supremo Tribunal Federal será mais um do sistema político brasileiro a ser diagnosticado com a Covid-19, com casos que até chegaram ao entorno do presidente Jair Bolsonaro.

Os governadores do Rio de Janeiro, Wilson Witzel e do Pará, Hélder Barbalho, são dois que confirmaram terem sido diagnosticados com a doença, assim como o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, e outros deputados e senadores, como Nelsinho Trad (PSD-MS) e Daniel Freitas (PSL-SC).

O secretário de comunicação da Presidência da República, Fábio Wajngarten, e o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno, também foram diagnosticados com o coronavírus, em meio a polêmica envolvendo o presidente Jair Bolsonaro, que revelou seus resultados para a Covid-19. como negativos.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!