Após viver o drama de ver uma parte de sua família ser infectada pelo novo coronavírus, e também de perder o pai para a covid-19, o vereador bolsonarista de Belém Sargento Silvano (PSD) agora está em lado oposto ao presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), no que diz respeito ao combate à pandemia.

O vereador de Belém manifestava publicamente ser a favor do fim do isolamento social e apoiava a abertura do comércio da capital do Pará desde o final do mês de março. Silvano e pelo menos dez de seus familiares testaram positivo para a covid-19.

A batalha contra o novo coronavírus fez com que o parlamentar refletisse sobre seu posicionamento.

Se antes Sargento Silvano defendia o presidente Bolsonaro, agora ele faz críticas às estratégias adotadas pelo líder do poder Executivo.

No dia 27 de março, o parlamentar publicou um texto em uma rede social que defendia o posicionamento de Jair Messias Bolsonaro, que cobrava dos governadores e prefeitos que estes abrissem o comércio. Na publicação, Silvano afirmava que em trinta dias todos veriam que Bolsonaro estava com a razão, afirmou o político do PSD. No dia primeiro de abril o parlamentar estava firme em seu apoio ao presidente ao afirmar que tinha lado e que não era um traidor.

Mudança de opinião

A crença no posicionamento do presidente da República já não era a mesma no dia 12 de abril, Silvano tinha um discurso diferente em que ele dizia estar “do lado da ciência e não de políticos”, ele disse que acredita nos médicos, até que se possa provar o contrário.

No dia 20 de abril, Silvano começou a fazer críticas mais duras a Bolsonaro ao afirmar que o presidente estaria mentindo para o povo brasileiro, o vereador afirmou que a covid-19 não é uma “gripinha” como Bolsonaro havia dito (em referência à fala de Bolsonaro que disse que a covid-19 era uma “gripezinha”).

Na publicação de Sargento Silvano, ele disse ainda que Jair Bolsonaro havia perdido seu respeito.

O parlamentar foi criticado pelos apoiadores de Jair Bolsonaro por causa de seus comentários. Na ocasião, Silvano ainda não havia sido infectado, ele então manteve sua nova convicção e pediu orações para seus familiares, que incluía a esposa e o pai do parlamentar.

Silvano disse que não teria dúvidas entre defender sua família e um posicionamento político. Ele afirmou que ficaria ao lado da família, sem dúvidas. Ele complementou dizendo que o povo brasileiro precisa saber a verdade, que o novo coronavírus está matando muitas pessoas.

No dia 24 de abril, após ter contraído e ter conseguido se recuperar da doença, Silvano foi ainda mais contundente em suas críticas a Bolsonaro. Ele afirmou que se sentia decepcionado com Jair Messias Bolsonaro. Além de ser um ex-paciente da covid-19, ele também se decepcionou com a saída de Sergio Moro do Governo. O pai do parlamentar permaneceu por um mês internado, mas não conseguiu se recuperar da doença.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!