O presidente Jair Messias Bolsonaro (sem partido) fez um anúncio nesta quinta-feira (4), nas suas redes sociais, que participará de uma llive ao vivo com líderes evangélicos nesta sexta-feira (5) às 16h, pelo Facebook.

Segundo o presidente Jair Bolsonaro, o objetivo da live é fazer uma oração conjunta em favor das autoridades e do povo brasileiro. O convite para o evento foi publicado num cartaz na rede social oficial do presidente.

Entre os líderes evangélicos que participarão da live estará presente o pastor Silas Malafaia, da igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo. Grande apoiador do presidente desde a candidatura, Silas se envolveu em polêmicas no mês de março, quando declarou publicamente que não fecharia as igrejas por conta do isolamento social que foi decretado em razão da pandemia de coronavírus no Brasil, levando o caso para a Justiça.

Posteriormente a suspensão dos cultos foi recomendada pelo pastor, voltando a normalidade ainda no final do mês de março, quando o presidente decretou as atividades religiosas como essenciais com algumas restrições.

Bolsonaro quer ministro evangélico no STF

Já na semana passada, em uma live que foi realizada no dia 28 também pelo Facebook, o presidente mencionou a possibilidade de indicação de um jurista evangélico para o STF (Supremo Tribunal Federal). A vaga estaria disponível no final deste ano, devido à aposentadoria compulsória do ministro Celso de Mello. Em 2021 será a vez do ministro Marco Aurélio se aposentar, onde surgirá uma segunda vaga.

O presidente mencionou que tem três nomes que não iria revelar que vem "namorando" há algum tempo para o Supremo Tribunal Federal.

Afirmou também ter um compromisso com a bancada evangélica, e que um dos nomes seria de um evangélico. Jair Bolsonaro disse que o pessoal critica, mas que não tem nada a ver. Independente da religião, segundo ele, o importante é ter conhecimento e desenvolver o papel lá. Se é católico, ateu, cristão ou evangélico, segundo ele, não interessa, e acrescentou que uma pitada de religiosidade ao seu entender, era muito bem-vinda.

Na mesma live, o presidente respondeu perguntas ao vivo para um jornalista da rádio Jovem Pan. Questionado sobre a indicação de Augusto Aras, atual procurador-geral da República, que vem sendo comentada já há algum tempo, o presidente afirmou que esse nome não está previsto para as próximas duas vagas, mas que é um "forte" candidato para uma eventual terceira vaga, que não está prevista para os próximos três anos.

Augusto Aras seria a terceira opção do presidente, que disse que espera que ninguém no STF desapareça. Sendo assim a possibilidade de uma terceira vaga acontecerá só daqui a três anos.

De acordo com a constituição, fica a cargo do presidente indicar os nomes aos cargos para o Supremo Tribunal Federal, porém a indicação segue para o Senado, que é responsável pela aprovação ou não dos mesmos.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!