Foi preso em Atibaia, no interior do estado de São Paulo, na manhã desta quinta-feira (8) Fabrício Queiroz, o ex-assessor e ex-motorista do senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente brasileiro Jair Bolsonaro.

O ex-assessor foi encontrado em um imóvel pertencente a Frederick Wasseff, advogado da família Bolsonaro. O jornal O Estado de S. Paulo, através do Twitter, divulgou imagens do momento em que foi efetuada a prisão do ex-assessor de Flávio Bolsonaro.

Após ser encontrado no local, Queiroz foi levado para uma unidade da Polícia Civil localizada no centro da capital paulista pelos agentes que realizaram a operação.

Queiroz deve ser encaminhado para o IML

Agora, após ter sido preso, Queiroz deverá passar pelo Instituto Médico Legal e também pelo Departamento de Operações Policiais Estratégicas, antes que ele seja levado para o Rio de Janeiro pelas autoridades responsáveis pelo caso.

O ex-assessor é Policial Militar aposentado e chegou a movimentar R$ 1,2 milhão em sua conta bancária, de forma que a movimentação em questão foi considerada como sendo atípica para o mesmo, de acordo com o que foi apontado em um relatório do antigo Conselho de Atividades Financeiras (Coaf).

Queiroz havia trabalhado para Flávio Bolsonaro, filho do presidente da República, Jair Bolsonaro, antes que o atual senador tivesse tomado posse em seu atual cargo.

Na época em que o ex-assessor trabalhou para o filho do presidente, o mesmo ainda era deputado estadual do Rio de Janeiro.

O pedido de prisão de Queiroz foi feito pelo Ministério Público do Rio de Janeiro, visto que provas com elementos necessários para que fosse feita uma prisão preventiva foram encontrados.

As provas indicavam que Querioz estava delinquindo, ou seja, estava fugindo e interferindo na coleta de provas para que fossem feitas as investigações necessárias em relação ao caso, de acordo com o que foi apontado nas investigações que estão sendo feitas agora.

Também foram feitas buscas no Rio de Janeiro, pela Polícia Civil, logo pelo início da manhã em um imóvel que constava na relação de bens do presidente brasileiro.

O imóvel em que foi alvo das buscas e apreensão da polícia fica localizado em Bento Ribeiro, na zona norte do Rio de Janeiro.

No final do mês de maio, ao rebater acusações que foram feitas pelo governador do estado do Rio de Janeiro, através de uma transmissão feita na internet, o senador Flávio chegou a elogiar Queiroz, que foi apontado por ele como sendo um "cara correto" e "trabalhador".

Nesta manhã de quinta-feira (18), em Brasília, o presidente deixou o Palácio da Alvorada, residência oficial, e saiu em um comboio em alta velocidade. Neste momento, o presidente nem mesmo parou para falar com seus apoiadores, como costuma fazer todas as manhãs ao deixara residência oficial.

Os mandados de busca e apreensão contra Queiroz foram expedidos pela Justiça do Rio de Janeiro, como parte de um desdobramento da investigação que apura o suposto esquema de "rachadinha" na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

A prisão do ex-assessor foi feita em uma operação coordenada pela Polícia Civil e também pelo Ministério Público de São Paulo.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!