Na manhã de sábado (25), dezoito dias após ter anunciado que havia contraído o novo coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez uma publicação na sua conta pessoal no Twitter para anunciar que seu teste RT-PCR deu negativo para Sars-CoV-2 l. Na foto publicada, Bolsonaro está feliz, segurando uma caixa do remédio hidroxicloroquina em uma das suas mãos e fazendo um sinal de positivo com a outra mão em uma mesa de café da manhã.

Bolsonaro defende cloroquina no combate ao coronavírus

O primeiro resultado positivo do presidente para o coronavírus foi no dia 7 de julho quando ele descobriu a doença.

Em seguida, em 15 de julho, o presidente Jair Bolsonaro submeteu a novo exame, e o laudo mostrou que ele não estava curado e que ele ainda estava com o novo coronavírus.

Ao todo, foram quatro exames realizados por Jair Bolsonaro. O último foi feito na quarta-feira (22), onde mostrava que ele continuava diagnosticado com a covid-19. O presidente ficou praticamente 17 dias em reclusão.

O presidente Bolsonaro é defensor do medicamento cloroquina e a hidroxicloroquina para o combate à covid-19. Ele tem exibido os remédios a seus apoiadores, e diz que faz o uso dos medicamentos para o tratamento desde que foi confirmado o primeiro teste positivo para o novo coronavírus.

Por não haver eficácia comprovada cientificamente dos dois medicamentos contra a covid-19, a postura é criticada por pesquisadores e autoridades de saúde de diversos países.

Durante o isolamento no Palácio da Alvorada, o presidente Jair Bolsonaro publicou vídeos nos quais ingere comprimidos do medicamento e defende o uso da substância no combate ao novo coronavírus.

Desde o afastamento, o presidente Jair Bolsonaro criou o costume de passear pelo jardim do Alvorada para pegar sol, fazer videoconferência e ele também passou a conversar à distância com seus apoiadores.

Bolsonaro comemora sua cura da Covid-19

O presidente Bolsonaro comemorou a sua cura gravando um vídeo nas redes sociais exibindo a caixa de remédio a hidroxicloroquina a todos que estavam presente, como se fosse um troféu.

Ministros continuam em isolamento social

Pessoas do alto escalão do Governo foram infectados pelo coronavírus.

Todos integram o grupo de risco da doença por terem mais de 60 anos. Dentre eles se encontram o ministro da Educação, Milton Ribeiro, de 62 anos, e o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, de 65 anos, Augusto Heleno, ministro do Gabinete de Segurança Institucional e Bento Albuquerque, ministro de Minas e Energia.

Por essa razão os ministros continuam afastados em isolamento social.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!