Na noite desta última terça-feira (7), o "Jornal Nacional" omitiu os nomes da CNN Brasil, Record TV e da TV Brasil ao falar a respeito do resultado positivo para Covid-19 do presidente da República, Jair Bolsonaro, que foi divulgado.

O canal de notícias e as emissoras concorrentes foram os únicos veículos de informação que o presidente brasileiro quis conceder entrevista para confirmar que havia testado positivo para o novo coronavírus.

Foi confirmado nesta terça-feira pelo próprio presidente Jair Bolsonaro que ele havia contraído a Covid-19. O anúncio foi feito para a TV estatal e outras duas emissoras no momento.

Para a divulgação do resultado do presidente brasileiro, nenhum outro órgão de imprensa foi convidado no momento. Bolsonaro declarou que decidiu divulgar a respeito do resultado do teste que foi feito com ele no dia anterior.

Omissão dos créditos às concorrentes

No entanto, a situação toda do principal telejornal não dar os devidos créditos aos concorrentes acabou soando estranho, visto que em outros momentos, quando outras emissoras foram responsáveis por dar os furos, o "Jornal Nacional" sempre deu os devidos créditos às emissoras em questão.

A omissão dos nomes dos canais que deram o furo de notícia em questão sobre o teste de Bolsonaro voltou a acontecer após um texto da repórter Claudia Bomtempo ir ao ar.

Ao entrevistar o infectologista Jean Gorinchteyn, ela declarou que os jornalistas que estiveram junto a Bolsonaro no momento em que ele declarou a respeito do resultado positivo de seu teste, também foram expostos à doença, visto que o presidente brasileiro chegou até mesmo a retirar a máscara em meio à entrevista.

Na matéria ainda foi citado que o presidente havia defendido o cuidado com pessoas mais velhas, em relação à doença, mas foi destaco que Bolsonaro mesmo tem 65 anos e tem feito reuniões e participado de cerimônias. Nestes momentos, vale destacar, sempre se encontra sem máscara.

Além disso, também foi ressaltado que o presidente tem encontrado com pessoas, que nestes momentos ele até mesmo distribui apertos de mão e abraços.

Outros integrantes do governo também estão no grupo de risco, como o ministro da Economia Paulo Guedes, que tem 70 anos de idade.

O infectologista entrevistado pelo "JN" ainda declarou que Bolsonaro, durante a entrevista onde revelou o resultado e seu exame, acabou desrespeitando as regras do distanciamento social, e com isso acabou colocando em risco as pessoas das emissoras em questão que foram convocadas por ele no momento para anunciar o resultado do teste para a doença.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!