O presidente da República, Jair Messias Bolsonaro (sem partido), realizou uma transmissão ao vivo através de seu perfil oficial nas redes sociais, onde informou que seu exame para coronavírus testou positivo mais uma vez.

Jair Bolsonaro realizou o exame nesta terça-feira (14), no período da manhã, recebendo o resultado no mesmo dia no período noturno. O presidente afirma que fará um novo exame nos próximos dias e que espera que no próximo tudo dê certo para que ele possa voltar a sua rotina de atividades no governo.

Hidroxicloroquina

Durante a live, o presidente Jair Bolsonaro voltou a mencionar o uso do medicamento hidroxicloroquina em seu tratamento contra a covid-19.

Dando créditos a medicação e afirmando que foi eficaz em seu tratamento, Bolsonaro diz que o futuro mostrará a verdade sobre a eficácia da medicação.

Alfinetando os órgãos de saúde, as pessoas e instituições que o criticam pelo uso da medicação sem comprovação científica no tratamento de coronavírus, Bolsonaro afirma que caso seja comprovada a sua eficácia, muita gente trabalhou para mostrar o contrário e que a história mostrará quem estava certo.

O Palácio do Planalto divulgou em nota a confirmação do diagnóstico e afirmou que o presidente continua em isolamento na residência oficial no Palácio da Alvorada, sendo monitorado pela equipe médica presidencial.

Jair Bolsonaro recebeu o diagnóstico de contaminação pelo novo coronavírus na terça-feira da semana passada (7).

Desde o início do diagnóstico e tratamento, o presidente defendeu fortemente o uso da hidroxicloroquina, mostrando publicamente o momento em que tomava a medicação através de vídeos e lives postados em suas redes sociais. Em uma das lives Bolsonaro chegou a dizer: "Eu confio na hidroxicloroquina e você?"

Procuradoria-Geral da República

Rogério Correia, deputado do Partido dos Trabalhadores (PT) de Minas Gerais, encaminhou uma representação contra Jair Bolsonaro à Procuradoria-Geral da União.

A representação fala sobre o incentivo e forte defesa do uso da hidroxicloroquina no tratamento de covid-19, mesmo sem comprovação científica de eficácia, e sobre as ações tomadas pelo governo de Jair Bolsonaro (sem partido) na produção do medicamento.

A procuradoria deve realizar uma investigação para identificar se as ações de Bolsonaro se enquadram no crime de improbidade administrativa.

De acordo com a Constituição Federal, Improbidade administrativa, é a realização de atos ilegais ou contrários aos princípios considerados básicos na Administração Pública no Brasil. Para que se caracterize improbidade, a ação deve ser cometida por um agente público, durante o exercício de função pública (mandato).

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!