Um dia após protagonizar ameaças a uma jornalista, Jair Bolsonaro voltou a fazer críticas à imprensa. Em evento pró-cloroquina, realizado na manhã desta segunda-feira (24), o presidente fez novos ataques à imprensa e usou um tom bastante ríspido para se referir aos profissionais.

Durante sua fala, o presidente afirmou que jornalistas seriam mais sucetíveis a morrer após uma infecção por coronavírus. Não obstante, ainda utilizou um termo de baixo calão para se referir aos profissionais da imprensa que, a todo momento em seu discurso, foram motivos de críticas fortes de Bolsonaro.

Em tom de sarcasmo, o presidente disse que jornalistas seriam menos resistentes à Covid-19 se comparados a ele, porque, ainda segundo ele, teria um histórico de atleta desde a época do Exército.

"Quando pega num bundão de vocês, a chance de sobreviver é bem menor", disse Jair Bolsonaro.

Jair Bolsonaro ataca jornalistas em evento

Durante o evento pró-cloroquina, Jair Bolsonaro fez um discurso direcionado aos profissionais da imprensa. O presidente não mencionou as suas falas feitas no domingo (23) e fez ataques constantes à imprensa, afirmando ser um "salvador de vidas" desde a época do Exército.

Na oportunidade, Jair Bolsonaro mencionou uma medalha que carregava consigo no peito por mérito de ter salvado um colega de um potencial afogamento nos anos 1970, quando tinha 23 anos. Para enfatizar sua história, o presidente direcionou ataques à imprensa, afirmando que os profissionais seriam os responsáveis por várias das mortes por Covid-19 que aconteceram no país.

Vale destacar que o presidente ainda desdenhou da gravidade da pandemia e salientou que, não fosse a hidroxicloroquina um remédio politizado, muitas mais vidas de brasileiros teriam sido salvas.

Bolsonaro defende cloroquina novamente

No evento pró-cloroquina, o presidente estava acompanhado de médicos a favor do medicamento e também do ex-ministro Osmar Terra, que chegou a afirmar, no primeiro trimestre do ano, que a Covid-19 mataria menos de 800 pessoas (em comparação direta feita com a epidemia de H1N1, de 2008).

Reforçando seu apoio ao uso do medicamento, Bolsonaro novamente afirmou que ele seria a prova viva de que a hidroxicloroquina funciona, uma vez que ele a utilizou para o tratamento enquanto esteve com Covid-19 e já se sentiu melhor no outro dia, em suas próprias palavras.

Bolsonaro ameaça profissional da imprensa

No domingo (23), Jair Bolsonaro foi filmado em nova aglomeração. Na oportunidade, jornalistas estavam no local e questionaram o presidente sobre os depósitos no valor de R$ 89 mil feito pelo casal Queiroz à primeira-dama Michelle Bolsonaro.

Em resposta, Bolsonaro direcionou ataques e ameaças físicas a uma repórter do jornal O Globo. "Vontade de encher tua boca de porrada", disse o presidente na oportunidade. O caso rapidamente viralizou e tomou conta das redes sociais no final de semana.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!