O governador do estado de São Paulo, João Doria (PSDB), criticou fortemente a ameaça feita pelo presidente Jair Bolsonaro a um jornalista que o questionou sobre os depósitos que a primeira-dama Michelle Bolsonaro recebeu de Fabrício Queiroz.

O governador concedeu uma entrevista coletiva nesta segunda-feira (24), no Palácio dos Bandeirantes, onde afirmou que Jair Bolsonaro não irá afrontar a democracia.

Declaração de Doria

Durante a coletiva, o tucano afirmou que, como governador de São Paulo, ele tem a obrigação de falar que nem o presidente Jair Bolsonaro nem qualquer outra pessoa irá afrontar a democracia em nosso país.

Doria ainda lembrou que falava não apenas como governador, mas também como filho de um deputado que foi cassado pela ditadura militar.

"Presidente, como governador de São Paulo, tenho a obrigação de dizer, como filho de um deputado cassado pela ditadura, que nem o senhor e nem ninguém vai afrontar a democracia do Brasil, vai amedrontar e emparedar jornalistas e veículos de comunicação sérios do nosso país. A democracia, presidente Bolsonaro, é mais forte que o senhor, já resistiu a outras ameaças e vai resistir a você também", disse o tucano.

Patrícia Ellen

Patrícia Ellen, que ocupa o cargo de secretária do Desenvolvimento Econômico, compactuou com a opinião do governador fazendo coro às suas críticas e continuou dizendo que um verdadeiro líder deve dar exemplo para o seu povo, e que a atitude de Bolsonaro de incitar agressão não é um bom tipo de exemplo.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!