A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, afirmou nesta quarta-feira (16), em seu Twitter, que está estudando medidas cabíveis em relação ao filme francês "Cuties", lançado na plataforma Netflix na última semana com o título de "Lindinhas". O filme estrelado por uma menina de 11 anos, interpretada pela atriz Fathia Youssouf, virou alvo do governo federal.

Sinopse

O filme conta a história de uma menina de apenas 11 anos que se muda para a França com a sua família e tem que conviver com as imposições de uma criação religiosa por parte da mãe.

Com sonhos e tentando se desvincular das ideologias maternas, a protagonista Emy entra para um grupo de dança composto por várias meninas da mesma idade que ela, e parece ter encontrado um lugar no qual se identifica.

A liberdade nos movimentos realizados por seu corpo durante a dança representa um tipo de resposta ao conservadorismo extremo e o tipo de criação submetida por sua mãe.

Polêmicas

Antes mesmo de estrear na plataforma de streaming, o filme gerou uma grande polêmica no Brasil. Pessoas protestaram contra o lançamento nas redes sociais, acusando a obra de sexualizar crianças.

De acordo com os manifestantes, o grande problema do filme é a forma como as personagens se vestem, o tipo de dança e as coreografias realizadas. As posições em que as crianças aparecem foram consideradas ousadas e exageradas pelos internautas.

Twitter

Um usuário do Twitter deixou uma mensagem para Damares cobrando uma atitude de forma "sutil".

"Cara Damares Alves, a senhora já ficou sabendo do filme na plataforma Netflix que sexualiza crianças? É preciso acabar com esse crime", escreveu um internauta.

Damares respondeu ao tuíte que intitulava Netflix como Pedoflix afirmando que não ficará de braços cruzados diante do filme, e como uma forma de tranquilizar o seguidor, finalizou com um "deixa comigo".

Seguidores

Ainda no Twitter, a ministra contou que já acionou a equipe jurídica do governo federal no intuito de proibir a exibição do filme no Brasil.

Outros usuários aproveitaram a oportunidade e o tema debatido para questionar a ministra sobre as supostas "brincadeiras" e piadas que o presidente Jair Bolsonaro realizou com uma criança de 10 anos durante a sua live semanal.

As piadas de Bolsonaro também geraram bastante polêmica por ser tratar de uma youtuber mirim, no entanto, a ministra não se manifestou sobre o assunto.

Maïmouna Doucouré

A diretora do filme, Maïmouna Doucouré, relatou em um vídeo promocional que a obra é uma crítica e não um incentivo à sexualização infantil sob suposta alegação de "liberdade sexual".

Maiimouna disse ainda que conversou com diversas pré-adolescentes sobre como elas lidam com sua feminilidade nos dias atuais. O resultando das conversas mostrou algo bastante preocupante, essas meninas acreditam que quanto mais alguém é sexualizada em redes sociais, mais bem sucedida se torna.

Netflix

Um porta-voz da plataforma disse o mesmo que a diretora Maiimouna, que o filme "Lindinhas" é uma crítica social à sexualização infantil, e pede para as pessoas que realmente se importam com um tema tão complexo como este assistirem ao filme.

Siga a página Cinema
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!