O senador Chico Rodrigues (DEM-RR), foi afastado por 90 dias, segundo determinação do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF). O senador foi flagrado nesta quarta-feira (14) com R$ 33.150 na cueca. Desse valor, havia R$ 15 mil em maços de dinheiro escondidos entre suas nádegas.

A Polícia Federal que realizou a operação de busca e apreensão envio ao Supremo tal informação e nesta quinta-feira (15) o ministro Barroso enviou o caso para deliberação do Senado, onde apontou a "gravidade concreta" da situação e exigiu o afastamento do parlamentar para evitar que Chico Rodrigues se apoie no cargo para dificultar as investigações.

O parlamentar era vice-líder do governo do presidente Bolsonaro na Casa, mas foi exonerado da posição.

PF propõe prisão preventiva a Chico Rodrigues, mas ministro nega

A Folha de S.Paulo apurou nesta manhã de quinta-feira (15) que Barroso enviou à Procuradoria-Geral da República (PGR) informação que tende a levantar o sigilo da operação.

Diante do flagrante, a Polícia Federal propôs a prisão preventiva do parlamentar, porém o pedido não foi aceito. Segundo a Folha, o ministro Barroso determinou que Rodrigues não tenha nenhum tipo de contato com os demais investigados que compõem o inquérito.

De acordo com o ministro Barroso, a gravidade dos delitos investigados indicam a necessidade de manter a ordem pública dado ao fato de as investigações apontarem que o senador usou de sua função parlamentar para desviar montantes destinados ao enfrentamento da pandemia do novo coronavírus, e ressaltou que o Brasil vive uma crise, onde há a escassez de recursos públicos e tem que lidar com a morte de mais de 150 mil pessoas, devido à gravidade da Covid-19.

Chico Rodrigues tenta frustrar investigações

Segundo a investigação, o senador Chico Rodrigues (DEM-RR) tentou frustrar a coleta de evidências que são imprescindíveis para dar continuidade à apuração. Ainda de acordo com a PF, a reprodução das imagens contidas no relatório pararam de ser reproduzidas para evitar maiores constrangimentos ao senador, que mantinha os valores escondidos no interior de suas vestes íntimas.

O delegado Wedson, responsável pela operação, informou que percebeu um grande volume na parte traseira das vestes de Chico Rodrigues e ao questioná-lo sobre o que havia em suas vestes, o senador se mostrou assustado e respondeu que não havia nada. Mas, o delegado decidiu averiguar e encontrou, a princípio, o valor de R$ 15 mil.

Após a busca pessoal no senador, a Polícia Federal se dirigiu para a sala de sua residência, onde foi indagado pela equipe policial. Não resistindo à pressão, o senador Chico Rodrigues enfiou a mão em sua cueca e retirou mais um maço de dinheiro. No total, outros R$ 17.900 estavam nas partes íntimas do senador de Roraima.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!