Neste domingo (25), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) recebeu uma crítica a respeito do preço do arroz. No entanto, ele não ficou satisfeito com a cobrança do homem e lhe respondeu de forma ríspida.

Conversa

Jair Bolsonaro cumprimentava um grupo de apoiadores de seu Governo na Feira Permanente do Cruzeiro em Brasília, quando um homem pediu que Bolsonaro baixasse o valor do arroz, alegando que não aguenta mais pagar tão caro pelo produto. O presidente se irritou com a colocação e mandou o homem comprar o arroz na Venezuela.

Bolsonaro ainda questionou se o homem queria que ele baixasse o produto na canetada e tabelasse o mesmo, dizendo que ele tabela, mas o homem iria comprar o produto lá na Venezuela.

O momento da conversa foi registrado em vídeo e publicado pelo jornal Folha de S.Paulo.

Prato cheio

O governo do Distrito Federal conta com um programa chamado "Prato Cheio", que tem como objetivo diminuir a insegurança alimentar da população estadual. O benefício é fornecido através de um cartão de débito com saldo de R$ 250, destinado à compra de alimentos.

O homem que solicitou a Bolsonaro a queda do preço do arroz é beneficiário deste programa, que atende famílias com renda de meio salário mínimo por pessoa, ou inferior a este valor.

Preços em alta

O ano de 2020 tem sido bastante conturbado em relação aos preços de determinados alimentos. O arroz, por exemplo, sofreu uma alta de 50% no decorrer dos meses.

Na tentativa de amenizar o grande impacto no bolso dos brasileiros, o Senado trabalha com a possibilidade de zerar juros na tentativa de frear a alta do produto.

Também na tentativa de conter as altas no arroz, a Câmara de Comércio Exterior (Camex) decidiu zerar os impostos referentes a importação do arroz.

A medida vale até o dia 31 de dezembro de 2020. Além da medida ser temporária, existe um limite. As importações estão restritas a 400 mil toneladas do produto.

Especialistas

De acordo com especialistas, a alta nos preços do arroz é resultado de um conjunto de fatores. A alta do dólar é um dos agravantes.

Outro fator que faz bastante diferença é o fato de vários países, entre eles a China, estarem restabelecendo estoques de alimentos devido aos reflexos causados pela pandemia do novo coronavírus.

Outro fator bastante relevante é a alta dos preços de combustíveis, que também reflete diretamente no valor final de diversos tipos de grãos, pois acabam encarecendo o processo de logística e distribuição dos produtos.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!