O encontro entre os presidentes Jair Bolsonaro, do Brasil, e Alberto Fernández, da Argentina, aconteceu nesta segunda-feira (30), por meio de uma videoconferência. Na ocasião, o presidente brasileiro falou do Palácio do Planalto acompanhado do ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e do assessor de Assuntos Estratégicos, Flávio Rocha.

A conversa durou cerca de 45 minutos e também contou com a participação do ex-presidente da República José Sarney.

A reunião teve como objetivo comemorar os 35 anos da conferência história entre os então presidentes das duas nações, José Sarney e Raúl Alfonsín.

Na época, a reunião ocorreu em Foz do Iguaçu (PR) e marcou a parceria firmada entre os dois países.

Bolsonaro iniciou o diálogo prestando homenagem a Maradona

Em seu discurso, o presidente brasileiro se referiu ao ídolo argentino Diego Armando Maradona como um grande jogador. O encontro entre os chefes de estado acabou colaborando para o fim de um vasto período de afastamento entre as duas nações, que teve início durante a última eleição presidencial da Argentina, em 2019, após a vitória de Alberto Fernández sobre Maurício Macri.

Na época, a relação diplomática entre os dois países azedou de vez após Bolsonaro ter declarado apoio ao então presidente Maurício Macri em meio à sua campanha presidencial.

Durante o período, Alberto Fernández visitou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que estava preso um uma carceragem da Polícia Federal na cidade Curitiba.

Bolsonaro e Fernandez pretendem trabalhar juntos

Durante a reunião ficou firmado que Brasil e Argentina pretendem deixar suas diferenças de lado e trabalhar juntos pela preservação do meio ambiente.

Também ficou confirmado que os dois países tendem a se unir no assunto relacionado às Forças Armadas, tema que preocupa muito os atuais chefes de estado.

Os dois também discutiram sobre a preservação do meio ambiente. Vale ressaltar que a preservação das florestas é considerado um ponto essencial para que o Mercosul consiga concretizar um acordo de livre comércio com a União Europeia.

O acordo havia avançado no Governo Bolsonaro, mas acabou recuando após sofrer derrotas nos parlamentos de países europeu e após a resposta do governo brasileiro com relação ao desmatamento e os incêndios na Amazônia.

Conversa de Bolsonaro com Fernández foi positiva

Assessores do governo brasileiro consideraram que o saldo da conversa entre os dois presidentes foi positivo. Mesmo com o debate relacionado à proteção do meio ambiente, a cordialidade entre os chefes de estado permaneceu.

Recentemente, o presidente brasileiro chegou a sugerir que iria recorrer "à pólvora", depois que o presidente eleito dos EUA, o democrata Joe Biden, sugeriu que iria impor sanções ao Brasil caso o governo Bolsonaro não adotasse uma política eficaz de combate ao desmatamento na Amazônia.

Ainda durante a reunião com Fernández, Bolsonaro classificou o Mercosul como imprescindível para a integração regional e pediu para que os países membros do bloco contribuam para o desenvolvimento de mecanismos mais ágeis e menos burocráticos. O presidente brasileiro também demonstrou o interesse de que o Mercosul precisa avançar em outros assuntos, citando o turismo.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!