O Governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sofreu uma das piores derrotas diplomáticas desde o início de seu mandato.

Bolsonaro não foi incluído na lista provisória de quase 80 chefes de Estado e de governo que irão participar no fim de semana de uma cúpula para debater o clima. A reunião é uma iniciativa da ONU (Organização das Nações Unidas), Chile, França, Itália e Reino Unido. As informações são da coluna de Jamil Chade, do portal UOL.

O Itamaraty ainda está tentando achar uma solução para a crise política e, de maneira extraoficial, a chancelaria do Brasil ainda tem esperança que o Brasil participe do evento.

O governo acredita que a situação não é definitiva e que tem chance de revertê-la.

Acordo de Paris

A reunião, que acontecerá de maneira virtual, tem como objetivo celebrar os cinco anos do Acordo de Paris.

Porém, os organizadores resolveram transformar o evento em um marco dos compromissos das nações e se prepararem para a cúpula do próximo ano, que acontecerá em Glasgow, na Escócia.

A condição para a participação de um líder no evento é que ele apresente novas e "ambiciosas" metas para a redução de emissões ou de preservação das florestas.

A recomendação aos governos era de que, se não tivessem nada para mostrar, não deveriam participar da cúpula.

O governo do Brasil no meio da semana entregou para a ONU suas metas de emissão para 2060.

Os objetivos foram considerados insuficientes para o que era esperado para o Brasil.

O entendimento dos organizadores da cúpula é o de que o Brasil não apresentou metas que justificassem a presença do país na lista de participantes.

Na primeira lista de participantes que foi revelada na quinta-feira (10), o nome do Brasil não estava presente.

A diplomacia brasileira nega que a exclusão esteja confirmada e afirma que o Brasil participará da cúpula.

Rússia e Estados Unidos também estão fora da lista

A reportagem do UOL entrou em contato com o Palácio do Planalto, que não quis falar sobre o assunto e recomendou que entrassem em contato com o Itamaraty.

Extraoficialmente, o site apurou que o governo federal tenta fazer com que o Brasil participe do evento.

Os países da América Latina que estão confirmados na cúpula do clima são: Uruguai, Peru, Panamá, Honduras, Guatemala, Equador, Cuba, Costa Rica, Colômbia, Chile e Argentina.

Segundo os organizadores do evento, o comportamento agressivo de Bolsonaro em relação aos outros países pesou na decisão de não incluir o Brasil na lista.

Nos últimos meses, tanto Bolsonaro quanto alguns de seus ministros têm aproveitado reuniões internacionais para atacar outros países e não para apresentar projetos concretos que mostrem o que o Brasil está fazendo para deter o desmatamento. Este tipo de comportamento não será aceito na próxima cúpula, disseram os organizadores.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!