Em meio ao aumento da pressão pelo impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), monitoramento das redes sociais dos parlamentares feito site Placar do Impeachment mostra que 111 dos 513 deputados já se manifestaram favoravelmente ao impedimento do chefe do Executivo federal. O levantamento mostra ainda que 58 deputados já se declararam contrários ao impeachment de Bolsonaro.

O ex-presidenciável Fernando Haddad (PT) promoveu a ideia, dizendo que só com o conhecimento da posição de cada um dos deputados seria possível abrir um processo para afastar o presidente. "É preciso abrir o placar do impeachment com o nome de todos os deputados federais e começar a pressão dos eleitores sobre cada um deles, por todos os meios.

Sem isso, o afastamento não vai acontecer", declarou Fernando Haddad.

O presidente da Câmara de Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que é inevitável discutir o assunto na casa "no futuro". "Eu acho que esse tema de forma inevitável será discutido pela casa no futuro", afirmou Maia. "Temos de focar no principal, que agora é salvar o maior número de vidas, mesmo sabendo que há uma desorganização e uma falta de comando por parte do Ministério da Saúde", completou.

Devido à gestão controversa da epidemia por parte do Governo federal, o presidente da Câmara vem enfrentando pressão para abrir o processo de impeachment de Bolsonaro. Alguns opositores do governo afirmam que Maia está sendo omisso. Pesquisa feita pelo site PoderData revela que Jair Bolsonaro manteve estável a sua taxa de aprovação popular.

O levantamento aponta que o presidente é aprovado por 45% da população brasileira e reprovado por mais 48%.

Impeachment vem sendo construído ao longo dos meses

Bolsonaro vem se mostrando contra diversas iniciativas de imunização e de conscientização na quarentena. Com isso, inúmeros casos de mortes e de colapso na saúde vem deixando o presidente em situação delicada.

Após a crise de energia no Amapá e da crise hospitalar no Amazonas, Bolsonaro vem sendo alvo de inúmeras suposições e desconfianças sobre o seu futuro no cargo.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!