Durante conversa com apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada, na noite de quarta-feira (20), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que "se Deus quiser" ele irá cumprir seu mandato até o fim. “Se Deus quiser vou continuar meu mandato e em 22 o pessoal escolha”, disse o presidente.

"Tem muita gente boa para escolher. Eu espero que os bons se candidatem, não deixar vir os mesmos candidatos", continuou.

O número de pedidos de impeachment apresentados contra o presidente na Câmara dos Deputados já soma 61. Destes, 7 pedidos foram enviados antes de março de 2020, os outros foram após o surgimento da pandemia.

Maia diz que impeachment é assunto para sucessor

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que vem sendo pressionado para pautar os pedidos de impeachment contra Bolsonaro, disse que não pode fazer isso agora porque assuntos relacionados ao combate à pandemia é mais importante no momento.

Mas ele já chegou a dizer, por exemplo, que a demora por parte do Governo federal em decidir qual vacina seria usada e data para iniciar a vacinação poderia resultar na abertura de um processo de impeachment contra o presidente.

Em outro episódio, ao ser questionado sobre os pedidos de impeachment, Maia disse que este assunto talvez fique para o próximo presidente da Casa, visto que seu mandato se encerra no final de janeiro, e as eleições para a escolha de seu sucessor acontecem no dia 1° de fevereiro.

Maia tenta eleger o deputado Baleia Rossi (MDB-SP), que já demostrou que pode pautar os pedidos de impeachment contra Bolsonaro, caso assuma a Casa.

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, também falou que o assunto está sendo bastante discutido por membros da instituição.

Santa Cruz foi outra pessoa a dizer que os pedidos de impeachment contra Bolsonaro podem ganhar força caso a insatisfação do povo aumente e comece a ir às ruas pedir a saída do presidente.

Essa insatisfação começou após uma crise sanitária em Manaus se instalar, causada falta de oxigênio, o que causou a morte de vários pacientes que estavam sendo tratados contra a Covid-19.