O apresentador Carlos Massa, mais conhecido como Ratinho, em seu programa "Turma do Ratinho", transmitido pela Rádio Massa FM, emissora de propriedade do próprio Ratinho, fez declarações polêmicas em que além de fazer ataques à Constituição Federal, também defendeu uma intervenção militar no país.

O apresentador do SBT afirmou em seu programa de rádio que se fizesse uma votação perguntando para a população se ela é favorável à volta dos militares, o resultado seria um percentual de 70% de pessoas que concordariam com a volta do regime ditatorial.

Ratinho ainda afirmou que a democracia brasileira é muito delicada. “Dá margem para bandido”, afirmou o amigo do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido). Pouco antes, Carlos Massa já havia defendido o retorno dos “homens do botão dourado”, que, segundo ele, colocariam “ordem na casa”.

Nova York

O apresentador ainda deu sua explicação para o que teria sido feito em Nova York pelo então prefeito da cidade Rudolph Giuliani, que resolveu a situação dos moradores de rua. Na época de Giuliani, segundo Carlos Massa, o alcaide fez uma pesquisa sobre qual era o medo da população, e a resposta teria sido o medo de mendigos batendo em suas portas. Então, Rudolph Giuliani retirou os mendigos da cidade, ou seja, o povo tinha medo de moradores de rua, então o governante os retirou da rua e deu um lugar para “os caras se virarem”, explicou Ratinho.

O apresentador afirmou que Giuliani resolveu a situação e a imprensa teria ficado ao seu lado. Então ele comparou com o Brasil, dizendo que se fosse aqui, a imprensa ficaria contra o político que fizesse algo parecido.

Singapura

Ratinho mudou o tema para falar sobre Singapura. No país, a homossexualidade é considerada crime e tem entre suas punições chicotadas em locais públicos e pena de morte.

Ratinho também insinuou que a população carcerária merecia ser fuzilada. O apresentador iniciou sua fala dizendo que seria algo polêmico o que iria dizer e que poderia até mesmo chocar, porém, estaria na hora de seguir o que foi feito em Singapura, onde "entrou um general, consertou o país e, um ano depois, fez eleições". "Mas primeiro consertou, chamou todos denunciados e disse: 'vocês têm 24 horas para deixar o país ou serão fuzilados'.

Limpou Singapura", disse Ratinho.

Repercussão

O apresentador recebeu várias críticas por suas falas defendendo a volta da ditadura e também uma política que foi considerada por muitos de higienista. Entre as pessoas que criticaram Ratinho está o vereador de São Paulo Eduardo Suplicy (PT). Suplicy declarou que as falas de Ratinho merecem punição parecida com que recebeu o deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ), que defendeu a volta do AI-5 e a substituição dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!