Nesta quinta-feira (25), o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), manifestou-se sobre o discurso duro feito pelo presidente da Câmara dos deputados, Arthur Lira (PP-AL), na tarde de quarta-feira (24). Lira chegou a falar em aplicação de “remédios políticos” contra erros no combate à Covid-19 e falou que estes remédios podem ser “amargos” e “fatais”. Apesar disso, ele não falou diretamente em impeachment contra Bolsonaro, mas demonstrou insatisfação com o rumo que o país tomou em relação ao combate ao vírus.

Bolsonaro diz que 'não teve nada errado' entre ele e Lira

Logo após uma reunião realizada entre Bolsonaro e Lira no Palácio do Planalto, em Brasília, os jornalistas ouviram do presidente que não há nada errado entre ele e o presidente da Câmara. O marido de Michelle Bolsonaro afirmou por duas vezes que não havia nada de errado com sua relação com Lira. Ele disse que é um velho amigo do líder da Câmara e que sempre torceu pelo sucesso dele. O presidente disse ainda que "o Governo continua tudo normal".

Além disso, Bolsonaro ressaltou que ele e Lira querem buscar maneiras de contratar mais vacinas para o país e destacou que ambos estão juntos nesta tarefa. Ele também afirmou que deseja que cheguem as informações de que estas vacinas realmente estão sendo aplicadas.

Enquanto acompanhou Lira até o carro, Bolsonaro conversou com jornalistas e pontou que eles conversaram sobre muitos assuntos e mais uma vez ressaltou que não há problema entre eles. Além de Lira e Bolsonaro, Ciro Nogueira, o presidente do PP, também estava com eles na reunião que não estava programada na agenda oficial de Bolsonaro.

Discurso de Lira

Durante sessão na Câmara, Lira fez um discurso duro acerca da situação da crise da Covid-19 no país e atuação do governo, estados e municípios para combater a doença no Brasil. O presidente da Câmara destacou que não é a intenção que remédios amargos sejam aplicados, mas destacou que estava apertando sinal amarelo para aqueles que quiserem enxergar.

Ele disse que não queria “fulanizar” e ressaltou que se dirigia a todos que possuem a responsabilidade de combater a doença que já vitimou mais de 300 mil pessoas no país.

Com o aumento descontrolado de mortes diárias no país, Lira chamou a atenção das autoridades políticas para que atuem juntos para encontrar meios de conter o avanço da pandemia. O líder da Câmara disse não ser justo descarregar toda a culpa no governo federal e chamou a atenção de todos os envolvidos para que atuassem em conjunto, pedindo união.

Lira cobrou que nas próximas duas semanas sejam discutidos apenas assuntos voltados ao combate à Covid-19 e pediu a compreensão de todos para que descartassem assuntos que não são pertinentes no momento atual que o país se encontra.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!