O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), discursou nesta segunda-feira (22), e sua fala foi publicada no Facebook oficial do político. A fala do presidente foi acompanhada de perto pela primeira-dama Michelle Bolsonaro e alguns ministros.

Bolsonaro elogiou a economia

O presidente falou sobre a economia do país. De acordo com Bolsonaro, mesmo com a pandemia do coronavírus, a situação está melhor do que o esperado para o momento. “Um amigo meu [ministro da Economia Paulo Guedes], mais que entender, ele sabe como funciona a economia e aplica na hora certa os remédios pra que o nosso país mantenha, nos momentos difíceis, os sinais vitais da economia", disse Bolsonaro.

Ainda, completou apresentando dados econômicos. "Alguns dados apenas da economia de 21 [2021]. Criamos 260 mil novos empregos (...) 2020, o ano da pandemia, terminamos, levando-se em conta 2019, com mais de 140 mil empregos formais de carteira assinada. Quem podia esperar isso daí? Nós atendemos também 68 milhões de pessoas com auxílio emergencial, o maior projeto social do mundo voltado para os mais necessitados (...) Quem ousa falar que nós não nos preocupamos com essa camada da sociedade?”, reforçou.

O presidente seguiu exaltando o momento econômico do país. "O Banco Central, agora, acaba de anunciar que nosso índice de atividade é o dobro do esperado. Isso é uma resposta pra todos aqueles que trabalham com economia no Brasil.

Também saiu agora há pouco a arrecadação de fevereiro: R$ 127,7 bilhões, um recorde da série desde o ano 2000 para o mês de fevereiro. Quem podia esperar isso? E esse valor é 4% acima da inflação, levando-se em conta fevereiro de 2020", enalteceu o presidente.

Coronavírus: para Bolsonaro, o governo tem se esforçado

Ainda no discurso da tarde desta segunda-feira (22), o presidente também elogiou a atuação no combate a Covid-19 e rebateu quem critica a demora na vacinação.

Até o momento, o país imunizou cerca de 11 milhões de pessoas, pouco mais de 5% da população.

Sobre a vacinação, Bolsonaro prometeu que buscará as vacinas. "Eu falei pessoalmente com a Pfizer, há três semanas. Conseguimos mais 100 milhões de doses até setembro do corrente ano. Mais 38 milhões de doses da Jassen", disse.

Bolsonaro disse ainda que o Brasil é um dos países que mais vacina no mundo.

"Nós somos o quinto país que mais vacina em valores absolutos. A Fiocruz entra na segunda semana com a produção semanal de 5 milhões de doses. Está faltando vacina, queríamos mais, mas dentro da disponibilidade do mundo somos realmente algo excepcional. Qual país do mundo não tem problema com [a falta da] vacina? Contratamos até o final do corrente ano 500 milhões de doses de vacinas", falou Bolsonaro.

Ainda no discurso, o presidente voltou a criticar o lockdown como medida de combate à explosão dos casos de coronavírus no Brasil. "Não sabemos onde isso vai acabar, se vai acabar um dia. Na Itália, tá vindo a terceira onda, vão ficar fechado até quando?", reclamou Bolsonaro.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!