Presidente da Câmara Municipal de Canela, no Rio Grande do Sul, o vereador Alberi Dias (MDB) realizou uma sugestão inusitada na sessão desta segunda-feira (15), que acabou viralizando nas redes sociais. O parlamentar sugeriu que uma grande quantidade de álcool em gel fosse pulverizado pelos céus no intuito de conter a propagação da pandemia de coronavírus na cidade.

Segundo o político, já que o vírus "está no ar", as propriedades antissépticas encontradas no álcool em gel agiriam no combate ao vírus através da "chuva".

Discurso

A sugestão de Alberi acabou arrancando gargalhadas de seus colegas.

Apesar dos risos, o parlamentar seguiu defendendo sua teoria, apostando que o processo funcionaria semelhante ao que acontece nas lavouras, quando é realizada a aplicação de inseticidas visando eliminar qualquer tipo de pragas que possam atingi-las.

O vereador sugeriu ainda que a pulverização ocorresse pelo menos na cidade de Canela e que poderia ser realizada com um avião. Ele ainda mencionou que a cidade conta com diversos empresários que possuem meios de transporte aéreos e que seria uma opção.

Cumprindo seu terceiro mandato como vereador, Dias intitulou o vírus como algo "de outro mundo" e questionou ainda se existe álcool em gel de forma líquida. Ao usar como exemplo a pulverização das lavouras, o vereador ainda mencionou que o álcool em gel é uma substância que "não faz mal".

Médico infectologista

Em entrevista ao UOL, Jamal Suleiman, médico infectologista do Instituto Emílio Ribas, comentou a sugestão do vereador. O profissional afirma que não existe nenhum respaldo para esta teoria e que, além de tudo, a prática é extremamente perigosa, considerando que se trata de álcool 70%, uma substância altamente inflamável que poderia ocasionar um desastre.

Além dos perigos mencionados, o médico explicou as razões que tornam a prática sugerida ineficiente. De acordo com ele, mesmo que fosse realizada uma "chuva" de álcool, a substância atingiria apenas uma camada superficial do problema, não alterando em nada a transmissão que ocorre efetivamente pelo contato direto entre pessoas.

Suleiman concluiu a sua explicação criticando a postura do vereador e usou ainda como exemplo que o álcool em gel é utilizado apenas para a limpeza de superfícies que possam acumular o vírus expelido através da saliva ou gotículas humanas, e não para tratar partes internas, como realizar bochechos com álcool, algo que seria completamente sem sentido.

Apesar de ter sido alvo de chacotas entre os próprios vereadores e ter explodido memes nas redes sociais, a postura do vereador é vista pelo especialista como inaceitável, uma vez que desinforma uma população que já está desesperada com a atual situação da pandemia.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Siga a página Saúde
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!