O clima esquentou entre o governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, e o deputado federal Marcelo Freixo (PSOL). O parlamentar fez duras críticas ao governador em exercício que, por sua vez, rebateu as críticas de Freixo sobre o recorde do número de óbitos pela Covid-19 no Rio.

Após a divulgação da Secretaria Estadual de Saúde ter divulgado no último sábado (3), em que mais de 400 pessoas faleceram pelo coronavírus nas últimas 24 horas, Freixo postou as críticas em seu perfil no Instagram.

O parlamentar de esquerda responsabilizou o governador do Rio e o presidente Jair Bolsonaro pelos altos números de mortes.

Marcelo Freixo argumentou que a atitude irresponsável de Castro e Bolsonaro, está fazendo com que o Rio de Janeiro pague um alto preço, Freixo ainda declarou que a dupla é negacionista e apelou para que a população ouça a ciência.

Resposta

O Governador em exercício por sua vez foi às suas redes sociais na manhã de domingo (4) para responder a Marcelo Freixo. Castro argumentou que o Governo do Rio de Janeiro teria aberto quase 600 leitos em quatorze dias, além ter feito a maior logística do Brasil na distribuição de imunizantes, alegou Cláudio Castro que ainda disse que Freixo é “covarde” e pediu para que o parlamentar parasse de usar politicamente o luto das famílias que perderam entes queridos para o coronavírus.

O governador ainda desafiou o deputado federal a negar as informações que ele, Castro havia dado sobre as medidas tomadas pelo governo do Rio na pandemia e acrescentou que está ajudando as pessoas mais pobres na luta contra o desemprego e a fome.

Milícia

Cláudio Castro também informou os números da segurança pública do Rio. E afirmou que "Nunca se prendeu tantos milicianos como hoje” e acrescentou que o estado está diante dos melhores números da segurança pública na história do Rio.

Castro ainda mandou Freixo ir trabalhar, e que disse para ele sair da internet e fazer algo de útil para o Rio.

Pelo Twitter, Freixo fez uma tréplica e afirmou que se trata de “obrigação” do governante abrir leitos e comentou sobre a festa de aniversário de Castro, realizada no dia 28 de março na Região Serrana. O deputado afirmou que Castro é covarde por ser submisso ao presidente Bolsonaro e impor ao estado a política negacionista do líder do Executivo.

O parlamentar ainda falou sobre a ligação do governador em exercício com o clã Bolsonaro, ele afirmou que Castro “está de joelhos para a família Bolsonaro”, a razão disso seria medo das investigações conduzidas pelo Ministério Público por suspeita de recebimento de propina em um contrato milionário de tratamento oftalmológico para cidadãos de baixa renda.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!