Mais um crime brutal assustou moradores da cidade de São Leopoldo neste final de semana. Um homem foi encontrado morto com sinais de tortura neste domingo (23), no bairro Campestre. O corpo da vítima, identificado pelos policiais como Marlon Henrique Lopes, de 27 anos, foi encontrado por populares que passavam pelo local por volta das 9h da manhã, em meio a entulhos, nas margens da Estrada do Quilombo.

O homem, que aparentava ter sido torturado, foi achado com os braços e pernas amarrados, com um saco plástico na cabeça e também com uma espécie de mordaça no pescoço. Na cabeça do rapaz, além de apresentar várias lesões, os policiais perceberam também marcas de disparos de arma de fogo.

Logo após a Polícia Militar ter sido acionada por moradores da localidade, a área foi completamente isolada pelas autoridades, para que membros do Instituto Geral de Perícia (IGP) pudessem realizar os primeiros trabalhos investigativos com o intuito de conseguir encontrar pistas que levassem a mais detalhes sobre o crime.

De acordo com os agentes que estão tentando entender melhor o que realmente houve na hora da execução, o homem pode ter sido torturado e depois atirado ainda vivo pelos agressores do alto do barranco, e, logo em seguida, os atiradores efetuaram os disparos contra a cabeça da vítima, que acabou morrendo no local. Moradores da região mencionaram aos policiais militares que ouviram cerca de três disparos nas proximidades de onde o corpo foi localizado, mas os agentes que realizaram a perícia no local não encontraram nenhum estojo ou projéteis deflagrados próximos ao cadáver da vítima.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

Ainda durante a tarde deste domingo, horas depois do corpo da vítima ter sido encontrado, familiares da vítima reconheceram o corpo. Conforme os agentes, o homem que é natural de Santo Ângelo, mas morava em São Leopoldo, possui passagens pela polícia por ameaça e dano referente a violência doméstica.

A polícia ainda não tem pistas dos assassinos

De acordo com o delegado responsável pela investigação do caso da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de São Leopoldo Ivair Matos Santos, os agentes civis ainda não tem pistas sobre a motivação que levou a morte do rapaz e nem dos autores do crime.

Os Policias Civis também pedem a ajuda da população da região para que possam ajudar na elucidação do caso. Sempre lembrando a população que todas as denúncias realizadas serão perfeitamente verificadas e a identidade do denunciante será mantida em absoluto sigilo para que seja preservado ao máximo sua integridade física.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo