A Polícia Civil de Porto Alegre está investigando uma série de ataques ocorridos na região com um liquido que promove queimaduras nas vítimas. De acordo com o delegado da Polícia Civil de Porto Alegre responsável pela investigação do caso, Luciano Coelho, o liquido seria uma espécie de ácido.

Ainda segundo o delegado Coelho, na última quarta-feira (19) uma mulher apareceu na delegacia para registrar uma ocorrência afirmando ter sido atingida pelo material, e, nesta manhã de sexta-feira (21), outras três mulheres e um homem estiveram na delegacia pelo mesmo motivo.

Algumas das vítimas apresentavam queimaduras pelo corpo.

De acordo com os agentes, o primeiro caso ocorreu na rua Santa Flora, no bairro Nonoai. Uma mulher teria relatado que estava passando na rua quando um homem em uma bicicleta segurando uma garrafa pet teria jogado o liquido em seu rosto. Após ela sentir que estava ardendo muito, imediatamente foi até uma unidade de saúde e depois foi na delegacia para realizar a ocorrência.

Homem em carro branco estaria promovendo os ataques

Nesta manhã de sexta, duas pessoas foram atingidas pelo liquido transparente no bairro Aberta dos Morros. Primeiro, um homem teria mencionado que estava passando pela rua quando um carro branco passou pelo local e um homem atirou o liquido contra ele. Minutos depois do ocorrido, uma mulher também foi atingida no mesmo bairro, também pelo mesmo veículo.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

Pelo menos uma hora depois dos ataques no bairro Aberta dos Morros, novas vítimas foram feitas na Rua Santa Flora, mesmo local do primeiro ataque de quarta-feira. Desta vez, mais duas mulheres foram atingidas. Segundo as vítimas do ataque, um carro branco teria passado pelo local e novamente um homem teria lançado o liquido contra elas.

Conforme os agentes, eles ainda não têm pistas do automóvel e nem de quem possa ser o homem que atirou o material nas pessoas, mas eles têm certeza de que a mesma pessoa teria promovido todos os ataques.

Uma das vítima mencionou que uma segunda pessoa também estaria dentro do automóvel, mas as autoridades ainda não confirmam a informação.

As roupas das vítimas que foram atingidas pelo material serão periciadas para que a polícia saiba exatamente que liquido foi utilizado pelo agressor. Os agentes também estão colhendo informações de testemunhas, e irão analisar câmeras de segurança da região para tentar identificar o veículo utilizado no ataque, e também o responsável.

Moradores da região estão assustados, e começaram a espalhar cartazes pelas ruas alertando as pessoas sobre o perigo.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo