Na tarde desta segunda-feira (9), a Polícia encontrou um corpo de uma mulher no interior de uma mala abandonada em um matagal na cidade de Garopaba, na região sul de Santa Catarina. De acordo com os agentes da Polícia Civil, a vítima estava desaparecida desde o dia 19 de fevereiro, quando o registro de seu sumiço foi feito na delegacia por colegas que trabalhavam com ela em um restaurante no centro da cidade.

Matou a mulher com um soco

Conforme as autoridades de Garopaba, o companheiro da vítima foi detido por policiais na cidade de Viamão, na região metropolitana de Porto Alegre, como sendo o principal suspeito de cometer o crime.

Após um interrogatório na delegacia, no qual o homem teria confessado que matou a mulher com um soco, ele levou os policiais até o local onde o corpo da vítima estava. A causa da morte ainda será apurada pela perícia do IML, pois o corpo encontrado estava em avançado estado de putrefação, não sendo possível identificar nenhuma marca de agressão física aparente.

Segundo a investigação, a vítima teria sido morta na madrugada do dia 19 de fevereiro, na casa onde o casal residia, situada no bairro Ambrósio.

Neste dia a polícia constatou que o suspeito não teria efetuado nenhuma ligação para o serviço de emergência para pedir alguma ajuda médica em qualquer situação.

Corpo levado para desova dentro de mala

O corpo da mulher, que ainda não teve o nome divulgado pelas autoridades, teria sido colocado em uma mala grande e transportado pelo suspeito na garupa de uma bicicleta até o local da desova.

Na semana passada, uma equipe do Batalhão do Corpo de Bombeiros teria realizado uma busca pela vítima com cães farejadores, mas nada haviam encontrado.

Corpo passará por exames cadavéricos

Agora o corpo passará por um exame de DNA no Instituto Médico Legal da cidade de Tubarão para que a identificação da mulher possa ser concretizada oficialmente.

O suspeito foi preso por feminicídio e será indiciado por homicídio qualificado e ocultação de cadáver, e foi encaminhado para a Unidade Prisional Avançada da cidade de Imbituba onde ficará a disposição da justiça para demais esclarecimentos dos fatos relacionados.

Segundo a delegada responsável pela investigação do caso Patrícia Fronza Vieira, no mês de janeiro a vítima teria solicitado uma medida protetiva de urgência, pedido que foi concedido pelo poder judiciário da região. A delegada ainda menciona a importância das mulheres realizarem este tipo de pedido para que possam tentar de alguma forma romperem o ciclo da violência doméstica.

"A mulher também precisa se posicionar, precisa romper esse ciclo da violência doméstica, e não subestimar o agressor, não acreditar que com ela isso não vai acontecer", explica a delegada do caso.

Não perca a nossa página no Facebook!