Agentes da Polícia Civil conseguiram prender na última quinta-feira (12) um homem de 44 anos, suspeito de ter violentado e matado uma Mulher de 59 anos de idade, na cidade de Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre. De acordo com a polícia, o suspeito foi identificado através de vídeos feitos por câmeras de segurança da região. Exames periciais e diligências realizadas pelos agentes também ajudaram na solução do caso.

O crime teria ocorrido no dia 4 de março e as informações sobre a prisão do suspeito foram reveladas pela polícia nesta sexta-feira (13).

Encontrada nua e com sinais de estrangulamento

Conforme as autoridades policiais, no dia da ocorrência a mulher foi encontrada sem roupa e com indícios de abuso e estrangulamento. Ao lado do corpo, os policiais localizaram um pedaço de madeira possivelmente utilizado pelo criminoso.

De acordo com o delegado responsável pela investigação do caso Mário Souza, a vítima provavelmente seria uma usuária de entorpecente da região. “Ela não era moradora de rua, mas, segundo familiares, passava muitos dias fora de casa”, explica o delegado da Polícia Civil.

Vídeo mostra suspeito caminhando com a vítima

Assim que os agentes analisaram as imagens das câmeras de segurança da região, puderam ver bem claramente o suspeito caminhando junto da vítima em uma calçada nas proximidades da BR-116 por volta das 2h43 min. Mais tarde por volta das 4h05 min, as imagens mostram o suspeito retornando sozinho.

Assim que foi detido, o homem que é morador de rua, carregava consigo em uma mochila as mesmas roupas que utilizou no dia do assassinato e que foram identificadas pelos agentes por conta das imagens analisadas.

O delegado Souza menciona que além de o crime ter sido considerado bárbaro ele se encontra em um contexto muito difícil, pois são pessoas que vivem nas ruas.

Investigado por outros quatro feminicídios

Conforme Souza, o suspeito também está sendo investigado por outros feminicídios ocorridos em Canoas.

“Foram pelo menos outras quatro mulheres, que sofreram ato de violência sexual e foram mortas depois, também por estrangulamento.

Todas elas tiveram objetos introduzidos nos corpos. Ou seja, o modus operandi é igual”, explica Souza.

Os outros crimes teriam ocorrido nos dias 18 de dezembro de 2018, 3 de abril, 5 de julho do ano passado, e 2 de fevereiro deste ano. Todos os casos ocorreram no bairro Rio Branco e as investigações ainda estão em fase inicial.

O homem será encaminhado para um complexo penitenciário da região onde ficará a disposição da justiça para mais esclarecimentos dos fatos relacionados.

Não perca a nossa página no Facebook!