Dois adolescentes, um de 16 anos de idade e outro de 15, foram apreendidos pela Polícia após confessarem ter matado o jovem Kauê Xavier, de 16 anos, com golpes de machadinha, faca e martelo na noite desta quarta-feira (25), em um matagal da avenida Juca Batista, no bairro Aberta dos Morros, na região sul de Porto Alegre. De acordo com a polícia, após o crime um dos adolescentes supostamente envolvidos teria procurado a Brigada Militar e confessado a autoria do assassinato.

Conforme o tenente-coronel e comandante do 9º Batalhão da Polícia Militar de Porto Alegre Luciano Moritz, após o crime o jovem relatou o ocorrido em uma sede da Brigada Militar e foi levado até o Departamento Estadual da Criança e do Adolescente (Deca), para prestar depoimento juntamente com seus familiares.

De acordo com o delegado responsável pelo caso Raul Vier, o jovem teria chegado de volta na capital de ônibus com o rosto sangrando e vários cortes nos lábios. O adolescente foi encaminhado para um hospital da região e depois voltou à Delegacia da Polícia Civil onde prestou esclarecimentos.

Ainda segundo o delegado, há suspeitas de que o adolescente teria entrado em luta corporal com a vítima, pois ele estava completamente sujo, rasgado e descalço. “Suspeitamos que ele entrou em luta corporal. Estava sujo, rasgado", disse.

Conforme Vier, em depoimento o jovem afirmou que teria arquitetado o crime com a ajuda de um outro adolescente. Diante das informações, a polícia conseguiu localizar o segundo jovem que teria participado do crime na tarde desta sexta-feira (27).

Os três eram amigos

A polícia diz que os dois adolescentes eram amigos da vítima e apesar de ambos terem confessado a autoria na morte de Kauê, há contrariedade em seus depoimentos.

Segundo Vier, os dois confessaram que mataram a vítima, mas em depoimento nenhum dos dois assumem a autoria de ter aplicado os golpes no menino e nem dão detalhes certos de como armaram a emboscada para a Kauê, mas isso não importa, pois ambos serão indiciados por homicídio qualificado como sendo os responsáveis pelo assassinato.

O crime teria sido planejado a três meses

As armas utilizadas no crime foram encontradas na mochila de um dos suspeitos, e de acordo com a polícia, a morte do jovem teria sido arquitetada a pelo menos três meses. A motivação do crime ainda não está esclarecida completamente.

O corpo de Kauê foi levado para o Instituto Médico Legal da região onde passará por uma perícia para saber se ele foi torturado antes de ser morto.

Os aparelhos celulares dos adolescentes envolvidos foram apreendidos e estão sob investigação. Na ocasião do crime, os dois também furtaram o telefone da vítima.

Câmeras de segurança de perto do local de onde o menino foi morto também serão verificadas.

Os dois jovens que não possuem passagem criminal serão agora encaminhados para uma unidade socioeducativa.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!