Um homem foi detido nesta quarta-feira (27) suspeito de torturar um bebê de 11 meses. De acordo com a Polícia, a criança é filha do rapaz que está sendo investigado. Segundo as investigações, ele quebrou o fêmur da vítima após brigar com a companheira no dia 23 deste mês.

Após se irritar com a mãe da criança, ele teria pisado na perna do bebê. A polícia revelou que depois ele tentou esconder a fratura, colocando uma calça comprida. Porém, esse comportamento piorou a situação, pois a lesão foi agravada por causa da demora do atendimento médico.

Agora, as investigações seguem na tentativa de descobrir se o filho do suspeito já foi vítima de maus tratos outras vezes.

Ele foi preso preventivamente por policiais do 58ª DP, quatro dias após a perna da criança ter sido fraturada.

A polícia trabalha com a hipótese de que ele é suspeito de ter cometido o crime pelo fato de ter escondido a lesão. De qualquer forma, ele também pode ser indiciado por abandono de incapaz, pois não prestou socorro à criança.

Até o momento, não há informações sobre o depoimento da mãe e de outras testemunhas, nem se sabe como a polícia descobriu agressão, bem como os detalhes de como tudo aconteceu. A investigação criminal segue sem dar muitos detalhes.

Uma imagem divulgada pelo portal G1 mostra o raio-x da perna do bebê, feito na segunda-feira (25). Isso indica que a criança teve de suportar a dor e o sofrimento de uma fratura grave como esta por dois dias.

Por isso que a polícia trabalha com a hipótese de incriminar o pai pelo ato de tortura, e não apenas maus tratos.

É possível que a equipe médica que atendeu a criança tenha feito alguma investigação junto à família para entender como aquela fratura ocorreu. A experiência de um bom ortopedista ou pediatra treinado pôde garantir que a lesão não era recente, levantando suspeita com a possibilidade de um crime ou negligência.

Entretanto, a polícia não divulgou nada sobre depoimento de médicos que atenderam o bebê no pronto-socorro. O único material divulgado foi o raio-x. É possível que outras pessoas que presenciaram a situação também sejam indiciadas durante as investigações.

A informação que se tem até o momento é que apenas o pai da criança foi detido, pois há uma forte suspeita contra ele.

Agora, a população aguarda um boletim oficial sobre esclarecimento do caso e como vai ficar a situação da criança. Infelizmente, também não se sabe o estado de saúde do bebê e nem se a sua fratura tem possibilidade de reestruturação, devido à demora do atendimento médico.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!