Mais uma vez, a base de apoio do Governo Jair Bolsonaro derruba a indicação de um bom quadro técnico.

A exemplo do que já havia acontecido quando Mozart Araújo fora desconvidado para assumir o Ministério da Educação, por pressão da base de apoio de Jair Bolsonaro, o mesmo aconteceu nessa última quinta-feira (28), quando o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, exonerou a renomada cientista política Ilona Szabó do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária (CNPCP).

O convite para que Ilona participasse do CNPCP partiu do próprio Moro, que, em nota, desculpou-se com a cientista política dizendo que sua indicação não foi bem recebida em alguns segmentos que apoiam o governo.

Quem é Ilona Szabó

Szabó acumula 15 anos de experiência na área de segurança pública e é fundadora e diretora do Instituto Igarapé, think tank renomada internacionalmente na área de estudos sobre segurança pública.

O ministro da Justiça e Ilona se encontraram em um debate no Fórum Econômico Mundial, em Davos, e viram que tinham ideias parecidas.

A diretora do Instituto Igarapé disse que recebeu o convite de Sergio Moro e que, no dia 22, recebeu um e-mail do ministro que explicava como seria sua situação no cargo.

Segundo o que ela diz, no e-mail enviado por Moro, ele explicou que, inicialmente, ela seria suplente, mas suplentes e titulares seriam ouvidos de forma igualitária.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Sergio Moro

E na primeira oportunidade, ela seria promovida a titular.

Em entrevista a uma rádio na quinta-feira pela manhã, o ministro Moro, ao comentar sobre Ilona Szabó, disse ser necessário haver uma diversidade de vozes no Conselho, e ainda elogiou o instituto comandado por ela.

O diretor-presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Renato Sérgio de Lima, em solidariedade a Ilona, enviou ofício para o ministro Sergio Moro, em que pedia para ser exonerado de outro conselho, também pertencente à pasta.

Renato Sérgio divulgou nota em que declarava solidariedade à cientista política e cita que ela foi exposta a situação constrangedora ao ser nomeada, e logo a seguir ver revogada sua nomeação para uma vaga no CNPCP.

O Instituto Sou da Paz também divulgou nota manifestando solidariedade a Ilona Szabó de Carvalho. A nota acusava o governo de faltar com respeito a Szabó.

A nota também acusa o governo de que, com este fato, dá claros sinais de não conseguir conviver com a diferença de opiniões.

Além disso, diz que a politização destes espaços de discussão não contribui para a grave situação da segurança no país.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo