Mais uma vez, a base de apoio do Governo Jair Bolsonaro derruba a indicação de um bom quadro técnico.

A exemplo do que já havia acontecido quando Mozart Araújo fora desconvidado para assumir o Ministério da Educação, por pressão da base de apoio de Jair Bolsonaro, o mesmo aconteceu nessa última quinta-feira (28), quando o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, exonerou a renomada cientista política Ilona Szabó do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária (CNPCP).

O convite para que Ilona participasse do CNPCP partiu do próprio Moro, que, em nota, desculpou-se com a cientista política dizendo que sua indicação não foi bem recebida em alguns segmentos que apoiam o governo.

Quem é Ilona Szabó

Szabó acumula 15 anos de experiência na área de segurança pública e é fundadora e diretora do Instituto Igarapé, think tank renomada internacionalmente na área de estudos sobre segurança pública.

O ministro da Justiça e Ilona se encontraram em um debate no Fórum Econômico Mundial, em Davos, e viram que tinham ideias parecidas.

A diretora do Instituto Igarapé disse que recebeu o convite de Sergio Moro e que, no dia 22, recebeu um e-mail do ministro que explicava como seria sua situação no cargo.

Segundo o que ela diz, no e-mail enviado por Moro, ele explicou que, inicialmente, ela seria suplente, mas suplentes e titulares seriam ouvidos de forma igualitária. E na primeira oportunidade, ela seria promovida a titular.

Em entrevista a uma rádio na quinta-feira pela manhã, o ministro Moro, ao comentar sobre Ilona Szabó, disse ser necessário haver uma diversidade de vozes no Conselho, e ainda elogiou o instituto comandado por ela.

O diretor-presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Renato Sérgio de Lima, em solidariedade a Ilona, enviou ofício para o ministro Sergio Moro, em que pedia para ser exonerado de outro conselho, também pertencente à pasta.

Renato Sérgio divulgou nota em que declarava solidariedade à cientista política e cita que ela foi exposta a situação constrangedora ao ser nomeada, e logo a seguir ver revogada sua nomeação para uma vaga no CNPCP.

O Instituto Sou da Paz também divulgou nota manifestando solidariedade a Ilona Szabó de Carvalho. A nota acusava o governo de faltar com respeito a Szabó.

A nota também acusa o governo de que, com este fato, dá claros sinais de não conseguir conviver com a diferença de opiniões. Além disso, diz que a politização destes espaços de discussão não contribui para a grave situação da segurança no país.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Sergio Moro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!