A China é a segunda maior economia do mundo. Mas, com a disseminação do novo coronavírus, a economia do país poderá desacelerar o crescimento econômico global.

Segundo a OCDE, o crescimento mundial esperado é de 2,9% para este ano, esse é o menor nível desde a última crise financeira ocorrida de 2008 para 2009, devido à guerra comercial entre os Estados Unidos e demais países que movimenta a economia no planeta.

O presidente do Banco Central americano (FED), Jerome Power, informou que a economia do governo chinês tem vivido períodos de incertezas.

Vários economistas têm mostrado preocupação devido ao efeito que o coronavírus provocou aos chineses, de modo que pode haver maior desaceleração na produção e na demanda para o sistema asiático.

De acordo com Neil Shearing, economista-chefe da Capital Economics, quanto maior for as “perturbações” na China, mais poderão refletir para a economia exterior. Já o banco holandês ING informou em nota que o freio na demanda doméstica chinesa, por causa do coronavírus, tem um impacto na economia mundial, em especial, justamente, no momento em que tenta se recuperar da crise gerada pela guerra comercial.

Na visão analítica de Michala Marcussen, economista e chefe da Sociéte Générale, a China corre o risco de perder um ponto do seu PIB o que retiraria cerca de 0,4 ponto do PIB mundial, o que para a economista é uma hipótese relativamente benigna.

Médico chinês tentou alertar sobre surto do coronavírus

No início de janeiro de 2020, o oftalmologista Li Wenliang, da cidade de Wuhan, na China e, que trabalha no Hospital Central percebeu que as sete pessoas que estavam em quarentena no hospital tinham algo em comum, ou trabalhavam ou passaram pelo mercado de Huanan, em Wuhan.

O doutor Li alertou os companheiros de profissão, através de um grupo privado solicitando que usassem equipamentos de segurança.

Contudo, Li não imaginaria que tal atitude o levaria a ser acusado de divulgar informações falsas que gerariam uma gravidade social. Os agentes de Segurança Pública o obrigaram a assinar uma carta em que dizia que ele estava sendo alertado e caso continuasse a divulgar tal “impertinência” ele seria levado a Justiça.

Porém, devido ao grande surto que deixou em alerta todo o mundo, o médico chinês publicou o ocorrido nas redes sociais, isso levou as autoridades chinesas a pedir desculpas ao cidadão.

Infecção Dr. Li Wenliang

O médico oftalmologista, Li Wenliang, foi infectado pelo coronavírus uma semana após a visita dos agentes em sua residência. Segundo o médico a contaminação ocorreu quando atendia uma paciente com glaucoma e que portava o vírus. Li informou em carta publicada na internet que em 10 de janeiro começou a tossir e, dois dias depois, foi para o hospital junto com os pais que também adoeceram.

Não perca a nossa página no Facebook!