O catálogo da Netflix está recheado de séries vindas da Argentina que foram produzidas pela plataforma de streaming. Porém, até o momento, não havia nenhum longa-metragem do país de Maradona que tivesse sido produzido pela gigante do streaming.

A situação mudou pois, agora, o filme "Presságio" (La Corazonada) é a primeira produção original do país na Netflix e foi gravado em Buenos Aires. O filme é um prequel do longa-metragem argentino de sucesso de 2018 “Desaparecida” (Perdida), que também está disponível na Netflix.

Ambas as obras são baseadas em livros da escritora argentina Florencia Etcheves.

Enquanto a produção de 2018 foi baseada em “Cornelia”, o novo filme foi baseado em “La virgen en tus ojos” ("A Virgem em Seus Olhos", em português).

A trama

O filme acompanha a trajetória da jovem policial Manuela Pelari (Luisana Lopilato), conhecida como Pipa, que está iniciando sua carreira como investigadora. Ela trabalha ao lado do inspetor Francisco Juánez (Joaquín Furriel), um inspetor experiente que, apesar de talentoso, usa métodos pouco ortodoxos no trabalho. E isso não o torna muito bem visto por certas pessoas dentro da divisão de homicídios.

Juánez fica encarregado de resolver o assassinato de uma jovem de 19 anos, e está sendo pressionado. Isos aconteceu pois a jovem, que foi violentamente assassinada, é filha de um grande empresário que tem prestígio com a polícia.

A principal suspeita neste caso é uma amiga da jovem.

Pipa, então, trabalha sob as ordens do inspetor veterano mas, ao mesmo tempo, recebe a missão de investigar secretamente o próprio Juánez, que aparenta ser culpado no assassinato de um jovem que matou acidentalmente sua esposa.

Elenco

O elenco conta com atores reconhecidos do Cinema argentino como: Abel Ayala; Delfina Chaves; Juan Guilera; Maite Lanata; Marita Ballesteros; Rafael Ferro; Sebastián Mogordoy entre outros.

Os protagonistas também estavam no filme de 2018.

Alejandro Montiel

O cineasta Alejandro Montiel, que já havia dirigido “Desaparecida”, ocupa o posto novamente. Ele também é produtor e um dos roteiristas de “Presságio”, ao lado de Mili Roque Pitt e da própria escritora Florencia Etcheves. Montiel é conhecido na Argentina por trabalhar em produções voltadas para os gêneros suspense e policial.

Confusão

Fica um pouco difícil resumir do que se trata este novo filme de Montiel, pois há muita informação na tela. Algumas delas poderiam ter sido descartadas como, por exemplo, o preâmbulo do filme que, apesar de fazer parte de toda a trama, tem uma resolução no mínimo estranha.

Outro aspecto problemático do longa é a sua edição apressada, que apresenta vários cortes abruptos. Se, nesse ponto, a intenção foi dar agilidade à trama, acabou fazendo o filme ficar ainda mais confuso.

Também é impressionante na produção a falta de química entre o casal de protagonistas. O longa apresenta um romance entre os dois, extremamente mal explorado. Além dos atores principais, os coadjuvantes também parecem estar perdidos em cena, pois a maioria dos personagens não transmitia um mínimo de veracidade.

Certamente este filme irá fazer com que, quem não viu “Desaparecida”, vá também ver a outra aventura da policial Pipa e torcer para que pelo menos o filme anterior não seja tão decepcionante quanto este novo.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Televisão
Seguir
Siga a página Seriados
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!