A Netflix estreou na última quarta-feira (8) a minissérie “Estado Zero” (Stateless). A produção tem seis episódios, com pouco menos de uma hora de duração cada. A minissérie foi livremente inspirada na história real da alemã-australiana Cornelia Rau, uma mulher com problemas mentais que foi confundida na Austrália com uma imigrante ilegal. A obra é uma criação da atriz Cate Blanchett, que também é produtora e participa como atriz. Além da estrela de Hollywood, “Estado Zero” tem em seu elenco rostos conhecidos dos fãs de filmes e séries.

Elenco

O elenco principal conta com Yvonee Strahovski (Sofie Werner), a atriz australiana já participou das séries: "Chuck", "Dexter" e "Handmaid’s Tale".

Em breve será vista na ficção científica estrelada por Chris Pratt, “The Tomorrow War”. Jai Courtney (Cam Sandford), o australiano ficou famoso por suas participações na saga “Divergente”, ele também viveu o Capitão Boomerang em “Esquadrão Suicida” e foi o Kyle Reese em “Exterminador do Futuro: Gênesis”, entre outras produções.

Asher Keedie (Clare Kowitz) também faz parte do elenco. A atriz da Austrália protagonizou dramas de seu país além ter participado de “X-Men Origens: Wolverine” como a Dra. Carol Frost. O australiano de origem libanesa Fayssal Bazzi (Ameer) é outro que faz parte do elenco. Ele ficou conhecido pelo drama de comédia da Austrália “The Merger”, em que interpretava Sayyid.

A trama

Sofie Werner (Strahovski) é uma jovem aeromoça australiana que após ter uma passagem traumática por um culto, acaba sendo confundida com uma imigrante ilegal e vai parar em centro de detenção para imigrantes. Sua irmã então parte uma jornada desesperada em busca da jovem.

Embora essa seja a trama central da minissérie, a trama gira em torno de outros três personagens que de uma forma estão envolvidos no drama da imigração na Austrália.

Desta maneira, a produção alterna as atenções para outras situações dramáticas.

Uma característica de “Estado Zero” é que a história é contada com o uso de muitos flashbacks, que aos poucos vão montando o quebra-cabeça que é entender o porquê da protagonista ter chegado naquele lugar, e somente nos últimos episódios é que o público entende realmente o que aconteceu com ela, que a fez ser expulsa do culto que participava.

Cornelia Rau, a mulher que inspirou o drama da protagonista da minissérie sofria de transtornos mentais, então não fica bem claro para o público se a personagem da ficção também precisava de ajuda psiquiátrica ou se era apenas uma mulher que, paradoxalmente, para conseguir sua liberdade, optou por manter-se presa.

Jai Courtney

Talvez este seja o primeiro trabalho do ator que realmente tenha alguma relevância em termos dramáticos. Courtney é presença constante em filmes de ação de gosto duvidoso, sua participação é na grande maioria em papéis sem muito destaque.

O australiano consegue se destacar no novo drama da Netflix com seu personagem Cam Sandford, um homem simples e de bom coração que vê sua vida mudar depois que aceita um emprego como guarda da Korvo Security Group, a empresa contratada para fazer a segurança do centro de detenção Barton (tanto a empresa quanto o centro de detenção não existem na vida real).

O guarda então enfrenta diversos dilemas morais e o ator se destaca em cenas dramáticas.

Clare Kowitz (Asher Keddie) foi enviada pelo DIMIA (Departamento de Imigração e Assuntos Multiculturais e Indígenas) para fiscalizar o centro de detenção, assim como o personagem Cam Sandford, Clare é mais uma que mesmo não estando na condição de imigrante ilegal, mostra como as situações que é obrigada a presenciar a afetam.

Ameer

O personagem é um afegão que fugiu do Talibã com a esposa e duas filhas e solicitou asilo no centro de detenção. O arco do personagem interpretado por Fayssal Bazzi, assim como o que acontece com Sofie, também sofre com uma narrativa picotada, mas em menor grau em comparação com o que acontece com a protagonista.

O drama de Ameer ganha grande destaque no episódio final e faz com que a resolução da trama principal perca força.

Mesmo com sua trama um pouco picotada, “Estado Zero” conta uma história interessante e aborda o tema da imigração, tema que de grande relevância nos dias atuais que por conta da pandemia que aflige todo o planeta, não está sendo tão comentado no momento, tanto na arte quanto na vida real.

Siga a página Televisão
Seguir
Siga a página Opinião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!