Estreou na quarta-feira (30) na Netflix o filme "The Boys in the Band". A produção foi dirigida por Joe Mantello e roteirizada por Mart Crowley e Ned Martel a partir da peça de Crowley.

O filme tem produção de Ryan Murphy, Mart Crowley, Ned Martel, David Stone e Alexiz Martin Woodall.

O filme tem no elenco Jim Parsons (o Sheldon de "The Big Bang Theory"), Zachary Quinto (o Sr. Spock da atual franquia "Star Trek" nos cinemas), Matt Boomer (das séries "White Collar" e "The Sin"), Andrew Rannells, Charlie Carver, Robin de Jesús, Brian Htchinson, Michael Benjamin Washington e Tuc Watkins.

O elenco e diretor de "The Boys in the Band" são os mesmos da montagem da peça ganhadora do Tony em 2018.

A trama

O filme se passa na New York de 1968. A trama é sobre um grupo de amigos homossexuais. Michael (Jim Parsons) é o anfitrião de uma festa que comemora o aniversário de Harold (Zachary Quinto).

Os outros presentes na festa são: Donald (Matt Boomer), ex-namorado de Michael; Larry (Andrew Rannells), que mora com Hank (Tuc Watkins), um professor de matemática que acabou de largar a esposa; Bernard (Michael Benjamin Washington), um bibliotecário e Emory (Robin de Jesús), o decorador é o mais extravagante de todos eles.

A festa conta ainda com um jovem e pouco inteligente garoto de programa que foi contratado para ser o presente de Harold, vivido por Charlie Carver, e Alan (Brian Hitchinson), um amigo de Michael da época da faculdade, que aparece de forma inesperada na festa.

Michael é um roteirista gastador e beberrão que está passando por uma crise de meia idade e acaba por tornar sua amargura evidente para todos na festa.

Seu amigo Donald é um homem que enfrenta problemas de auto-estima. Larry e Hank estão enfrentando problemas no relacionamento.

Harold por sua vez é um homem de pensamento afiado e respostas ferinas, então ele é mais um do grupo que coloca para fora seus dramas e frustrações.

Aos poucos a trama vai abandonando qualquer esperança de que será uma comédia leve para se transformar em um drama reflexivo.

A festa já contava com sequências de atrito entre o grupo, mas o caldo derrama mesmo a partir do jogo proposto por Michael, em que cada um teria que revelar sentimentos do passado que estavam enterrados.

É neste ponto que o público irá descobrir as dores e culpas de quase todos os personagens.

Jim Parsons é o destaque da produção, seu personagem é um homem que tenta esconder suas amarguras se comportando de maneira agressiva com os amigos.

O filme, mesmo se passando mais de 50 anos no passado, levanta questões que ainda podem ser problemáticas para os homossexuais, como se autoreconhecer como homossexual dentre outras situações.

Siga a página Televisão
Seguir
Siga a página Cinema
Seguir
Siga a página LGBT
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!