Uma das estreias do mês de outubro na Netflix, a série "Emily em Paris" está causando polêmica entre o público e a crítica da França.

Os espectadores franceses acusam a plataforma de streaming de produzir um produto que é fortemente estereotipado.

O The New York Times entrevistou parisienses que apontaram vários clichês que são mostrados na série, como fumar em locais fechados e andar nu na ponte Alexandre III.

Nudez polêmica

Um dos parisienses que foi entrevistado pelo conceituado jornal norte-americano chamou de "paródia da nudez", um recurso que era utilizado pelas campanhas publicitárias da França há décadas, que já não é mais utilizado pela moderna publicidade da França.

Outros espectadores entenderam que "Emily em Paris" peca pelo exagero, principalmente no que diz respeito ao figurino da protagonista e ainda não perdoaram o fato dela não falar a língua do país da Europa.

A crítica especializada francesa também não poupou críticas à série protagonizada pela atriz Lily Collins.

Um crítico do AlloCiné declarou que a obra mostra uma Paris irreal. Enquanto outro crítico lamentou que atores franceses participassem da série.

Clichês

Um terceiro crítico afirmou que "Emily em Paris" não passa de um amontoado de clichês, que mostram os franceses como sendo arrogantes, sujos, preguiçosos e maus.

A jovem protagonista estadunidense então chega para dar conselhos aos franceses sobre a vida.

Ele ainda classificou a trama como "risível".

Baseada em eventos reais?

Não, "Emily em Paris" não é baseada em uma história verdadeira. O criador da série, o vencedor dos prêmios Emmy e Globo de Ouro Darren Star, (também criador de "Sex and the City") tinha um desejo de morar e trabalhar em Paris, então é natural que a trama incorpore alguns dos desejos de seu criador.

Star também levou para a trama algumas experiências que teve quando conheceu a cidade, sua cultura e pessoas que conheceu na capital francesa. Ele também chegou a morar por alguns meses em um apartamento alugado em Paris.

Darren Star tinha o desejo de levar para as telas uma trama que falasse sobre a experiência sonhadora de trabalhar em uma capital estrangeira.

A intenção do artista foi criar uma série que fizesse uso de elementos da cultura norte-americana e francesa, sem ofender ninguém.

Mas no final das contas, acaba sendo a visão de um estrangeiro sobre uma cultura diferente da sua.

Darren Star é um dos responsáveis pelo roteiro de "Emily em Paris", ao lado de Sarah Choi, Deborah Copaken e Emily Goldwyn. A direção é de Andrew Fleming.

No elenco estão: Lucas Bravo, Philippine Leroy-Beaulieu, Samuel Arnold, Ashley Park e Kate Walsh.

Siga a página Televisão
Seguir
Siga a página Seriados
Seguir
Siga a página Opinião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!