A Netflix estreou na quinta-feira (3) a comédia natalina "Tudo Bem no Natal Que Vem". A produção de 1h41 é a primeira nacional do gênero na plataforma de streaming.

O filme é protagonizado por Leandro Hassum, tem direção de Roberto Santucci e roteiro de Paulo Cursino.

A trama

O filme conta a história de Jorge, um homem que desde a infância não sente prazer em comemorar o Natal. Muito desta aversão ao feriado vem do fato dele fazer aniversário no mesmo dia que é celebrado o nascimento de Cristo.

O filme então mostra cenas da infância do personagem em que ele reclama de seu aniversário ser comemorado junto com o Natal, mas com o passar dos anos ele acaba não ligando para o fato e arruma maneiras de não comemorar o feriado.

A trajetória de Jorge da infância até a juventude é narrada pelo próprio protagonista, o filme então chega ao ano de 2010, em que ele é agora um adulto, casado e pai de dois filhos, Jorge continua não sendo fã do Natal.

Nas comemorações daquele ano, o personagem acaba sofrendo uma espécie de castigo por não ver a beleza do Natal.

O avô da esposa de Jorge sofre de alguma doença que o deixa todo o tempo em estado catatônico. O idoso de barbas brancas, que nunca fala, de repente se vira para o protagonista e diz que ele entenderá a magia do Natal.

Somente Jorge conseguiu presenciar a fala do velho homem, que logo voltou à sua condição de desligamento da realidade.

Pouco tempo depois, Jorge acaba se fantasiando de Papai Noel e ao subir no telhado da sua casa, cai e só acorda no dia seguinte, mas quando ele desperta, ele acorda na véspera de Natal de 2011, e não se lembra de absolutamente nada que aconteceu no ano inteiro.

Então o filme segue com o personagem atravessando esta estranha situação, ele só vive o dia 24 de dezembro e passa os 364 dias seguintes sem lembrar de nada do que fez.

O longa mostra então que existem dois Jorges, um que é bom pai e bom marido, e o outro que com o passar dos anos vai se tornando cada vez mais focado no trabalho e que, apesar de crescer nesta área, acaba por deixar de lado a família.

Então está dado o drama do protagonista, ele terá que, no único dia em que é ele mesmo, consertar os estragos que sua outra personalidade fez no resto do ano.

O filme provavelmente não irá fazer quem não gosta do comediante Leandro Hassum mudar de Opinião em relação ao ator.

Porém, o artista diminuiu um pouco o tom exagerado que é alvo de críticas de quem não aprecia o seu trabalho.

A produção não acrescenta muita coisa de novo para o gênero, são vistas na obra várias referências como o clássico "Feitiço doTempo" (1993), "Como Se Fosse a Primeira Vez" (2004) e "Click" (2006).

Chega um determinado momento que se torna cansativo ver o personagem passando tantas vezes pela mesma situação, o que fez o filme perder o ritmo e dar a impressão de não saber para onde estava querendo ir, mas o filme de Roberto Santucci acabou por encontrar novamente o já esperado desfecho.

Um ponto positivo da comédia com uma parte bem dramática é que ela consegue construir uma ambientação que o público brasileiro pode se identificar.

O filme se passa na ensolarada cidade do Rio de Janeiro e mostra personagens que podemos reconhecer e situações que podemos facilmente nos identificar.

Siga a página Seriados
Seguir
Siga a página Cinema
Seguir
Siga a página Opinião
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!