A Fenaj (Federação Nacional dos Jornalistas) produziu o relatório chamado "Violência contra jornalistas e liberdade de imprensa no Brasil", que pode ter sido uma solução para a Rede Globo dar uma resposta ao seu crítico sistemático, o presidente da República Jair Bolsonaro. Na edição da última terça-feira (26), o "Jornal Nacional" ressaltou as agressões que o mandatário faz à imprensa de uma maneira geral.

O relatório contabilizou 428 casos de violência, mais que dobrou o percentual do já crítico número de 208 ofensas que foram registradas no ano de 2019, relatou o repórter Vladmir Netto, que vem a ser filho da jornalista especializada em economia Miriam Leitão.

A própria jornalista já foi alvo de ataques do mandatário por causa da participação dela na militância contra a ditadura.

Segundo o que consta no relatório da Fenaj, a explosão de casos está diretamente associada às constantes manifestações contrárias aos órgãos de imprensa que são ditas por Jair Messias Bolsonaro, que tem a intenção de desestabilizar a imprensa. O relatório também afirma que os casos de violência também têm ligação com a ação dos apoiadores de Bolsonaro contra veículos de comunicação e jornalistas.

O relatório relatou 175 ações hostis do ocupante do Palácio da Alvorada contra a imprensa em 2020. Da totalidade dos casos apurados pela organização, 24% tiveram como alvos preferenciais os jornalistas da Televisão.

Ao apresentar a matéria, a âncora do "JN" afirmou que o Palácio do Planalto foi procurado e não quis comentar o assunto.

Inimigo meu

No percentual de profissionais do setor televisivo que são atacados pelo presidente da República se encontra quem Bolsonaro escolheu como seu alvo preferencial, o apresentador e editor-chefe do telejornal mais importante da TV brasileira, o "Jornal Nacional".

No início de janeiro, Bolsonaro ofendeu Bonner para as câmeras e aparelhos celulares de seus apoiadores e chegou até mesmo no passado a desafiar o jornalista para um “duelo” frente a frente na bancada da atração comandada por Bonner e Renata Vasconcellos.

Sistematicamente atacado nas redes sociais e também alvo de insultos por apoiadores do presidente, Bonner não rebateu diretamente as acusações de Bolsonaro, porém no último dia 14 o profissional da imprensa desabafou ao vivo, ao ler um texto que dizia que pessoas irresponsáveis e loucas estão espalhando mentiras e crendices sobre a pandemia do novo coronavírus e contra as vacinas, existem pessoas que fazem isso usando trajes de cargos públicos, disse o jornalista.

A crítica tinha um endereço certo, Jair Bolsonaro e seus apoiadores, foi uma maneira do âncora dar um recado para o desafeto, esta foi uma maneira da Rede Globo e William Bonner responderem ao presidente da República.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Televisão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!