Muitas pessoas que estavam acostumadas a verem o apresentador José Luiz Datena fazer críticas contundentes ao presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) se surpreenderam com o tom mais ameno adotado pelo apresentador ao entrevistar Bolsonaro em seu programa, o "Brasil Urgente", da Band, nesta sexta-feira (15).

Fake news

Pelas redes sociais, várias pessoas criticaram o fato de Datena permitir que o líder do Executivo disseminasse Fake News sobre a Covid-19 ao vivo sem que o apresentador o contestasse, a web classificou José Luiz Datena como "cúmplice" do discurso de Jair Messias Bolsonaro.

Mentiras

O mandatário mentiu na atração da Band ao afirmar que existe um tratamento precoce contra o novo coronavírus.

Bolsonaro também faltou com a verdade ao abordar a eficácia da vacina Coronavac e também quando se referiu à decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que permitiu que estados e municípios, juntamente com o governo federal, tivessem também autonomia no combate à Covid-19.

Sobre o último tema, o mandatário afirmou que o Supremo lhe impediu de tomar alguma decisão sobre a covid-19 nos estados e municípios.

Praia

Com suas falas peculiares, e muitas vezes de difícil compreensão devida a falta de lógica, o presidente da República declarou que se dependesse do STF, ele, Bolsonaro, deveria estar na praia e que segundo Bolsonaro, seu erro foi não ter dado ouvidos ao Supremo e ter ajudado a população de Manaus, "com cilindros e tratamento precoce", disse o mandatário.

STF

Diferente do que afirmou Bolsonaro, o que aconteceu foi que o STF julgou três ações em 2020 reconhecendo que os governadores e prefeitos têm autonomia para elaborarem estratégias de combate ao Sars-Cov-2 em seus respectivos territórios, incluindo medidas mais duras, como por exemplo, o fechamento do comércio.

SBI

A Sociedade Brasileira de Infectologia recentemente fez o alerta de que o tratamento precoce contra a Covid-19 não é recomendado com quaisquer medicamentos, incluindo hidroxicloroquina, cloroquina ou ivermectina, remédios que são constantemente recomendados por Jair Bolsonaro como sendo a solução para a Covid-19.

O órgão afirmou que não existe comprovação científica da eficácia desses medicamentos.

Datena

Ao optar por deixar o presidente da República disseminar informações falsas sem contestar o político, o jornalista da Band foi muito criticado pelos internautas, que o acusaram de ser cúmplice das fake news de Jair Bolsonaro.

Apoiador

Quem está surpreso com a liberdade dada por Datena para Bolsonaro disseminar informações inverídicas deve ter esquecido do tempo em que o apresentador do Brasil Urgente tinha um relacionamento mais alinhado às políticas de Bolsonaro.

O jornalista parece que sentiu saudade do tempo em que constantemente entrevistava o presidente da República em seu programa e não tocava em temas mais delicados que pudessem aborrecer o mandatário.

Doria

Além de contribuir com a desinformação propagada por Jair Bolsonaro, o jornalista ainda saiu em defesa do presidente ao comentar a declaração do governador de São Paulo, João Doria (PSDB).

Para Datena, o tucano cometeu um crime ao se referir ao presidente da República como um "facínora". Bolsonaro não esconde de ninguém que não tem nenhum apreço pelo governador de São Paulo.

Datena afirmou que a entrevista ocorreu de forma "excepcional", e que teve como tema principal, além das desavenças entre o governador de São Paulo e o presidente da República e a discussão sobre a vacina, as medidas que serão tomadas pelo governo federal para ajudar Manaus.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Televisão
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!