Caroline Bittencourt [VIDEO] faleceu no último dia 28 de abril após cair de uma lancha durante um temporal que atingiu o litoral norte de São Paulo. Após o corpo da modelo ser localizado no dia seguinte, foram iniciadas as investigações sobre o ocorrido e, nesta segunda-feira (6), a Polícia Civil anunciou que irá indiciar o empresário Jorge Sestini por homicídio culposo –quando não há intenção de matar.

Segundo inquérito, o marido de Caroline teria sido informado por mensagens no celular sobre os riscos de estar em alto mar com a chegada da tempestade. O conteúdo da conversa entre o empresário e o dono da marina, Lenildo de Oliveira, foi divulgado pelo programa "Fala Brasil", da Record TV, nesta terça-feira (7).

'Já estamos em emergência aqui', dizia mensagem

O município de São Sebastião, no litoral norte paulista, foi atingido por um intenso temporal no último dia 28 de abril e causou estragos com ventos fortes e chuvas intensas que acabaram vitimando Caroline Bittencourt. A modelo, que estava com o marido em uma lancha, acabou caindo nas água revoltas e teve sua morte confirmada, causando comoção entre familiares, amigos e fãs.

Novidades nas investigações em torno do falecimento da modelo mostraram que Jorge Sestini foi informado sobre a tempestade mais de uma hora antes da embarcação ser atingida pelo vendaval: "Já estamos em emergência aqui", dizia a mensagem de texto enviada por Lenildo de Oliveira ao empresário.

Segundo reportagem da Record TV, o celular de Jorge ainda guardava as mensagens trocadas com Lenildo no dia do acidente que vitimou a modelo. O alerta teria sido enviado às 15h44 e o acidente fatal aconteceu às 17h.

“Está indo na direção de vocês. Abriguem-se”, foi o alerta usado para avisar ao empresário sobre os perigos de continuarem expostos em alto mar.

O celular de Jorge Sestini ainda trazia as conversas de dois dias antes do acidente, quando o empresário pediu que Lenildo preparasse a embarcação, pois iria ao litoral paulista com a esposa Caroline Bittencourt naquele final de semana.

Jorge será indiciado por homicídio culposo

De acordo com o delegado que investiga o caso, Vanderlei Pagliarini, houve negligência da parte de Sestini, após receber os avisos sobre o mau tempo e a tempestade que se aproximava do local.

Com a conclusão, o empresário deverá responder por homicídio culposo. Jorge Sestini ainda não prestou depoimento e não há uma data certa para o empresário ser ouvido pela polícia, conforme informou o G1.

A equipe de reportagem do G1 procurou a família do empresário, mas esta informou que não vai comentar o caso. Sestini tem a opção de não responder aos questionamentos da polícia, porém, caso seja condenado, pode cumprir pena de até três anos de detenção.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!