Enquanto o velório transcorria na Casa de Portugal, tradicional salão de eventos e bailes da cidade de São Paulo, Rodrigo, filho do cantor Roberto Leal, disse que a família achou melhor não contar ao pai a verdade sobre a gravidade do câncer que acometia o artista.

Rodrigo, que também é músico, afirmou que, mesmo quando a doença se alastrou para o fígado, era dito a ele que se tratava apenas de uma pequena mancha no órgão.

Apesar de ser uma maneira de ocultar a verdade, seus familiares mais chegados demonstravam muita preocupação, porque queriam preservar Roberto Leal da real situação de sua Saúde. Eles não suportariam que o cantor desabasse psicologicamente e emocionalmente. O filho de Roberto revelou que o câncer fez com que todos se unissem ainda mais em torno do artista português.

Ele relembra que a atividade fez o pai viver mais, a seguir sempre adiante.

E vai mais além, salienta que a maior formação que Roberto Leal adquiriu foi da vida, pois o cantor não tinha estudo ou diploma universitário.

O pai de Rodrigo é marcado pela alegria e nunca perdeu a vontade de viver. Tais características não desapareceram quando a doença se manifestou. Nem em sua fase mais agressiva Roberto Leal fechou o seu sorriso.

"A gente conseguiu preservá-lo com aquela imagem feliz, bonita, como ele gostaria de ser lembrado.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Famosos Saúde

É um guerreiro!", disse o filho. Em suas palavras, Rodrigo elogia a carreira arriscada de Roberto Leal, o qual apostou na cultura portuguesa para ser bem-sucedido e tornar a Música de sua terra natal conhecida no Brasil.

Chegada, muito trabalho e interesses diversos

Nascido na região de Trás-os-Montes, norte de Portugal, Roberto Leal e sua família (pais e nove irmãos) vieram para o Brasil quando o futuro cantor tinha apenas 11 anos de idade.

Na capital paulista, trabalhou em diversas profissões, como sapateiro, vendedor e feirante. Mas a música o interessava mais. Em 1970, grava seu primeiro disco.

Sua discografia alcança 50 álbuns lançados, sendo que o último trabalho foi em 2016 com o título de "Arrebenta a Festa".

António Joaquim Fernandes (seu nome verdadeiro) vendeu cerca de 17 milhões de discos e conseguiu faturar vários prêmios, como discos de ouro e de platina.

Em 2011, lançou sua autobiografia no Brasil e em Portugal.

Nos últimos tempos, Roberto Leal se direcionou para a política. Participou de comícios e de eleições legislativas em Portugal durante a década de 90 e se candidatou a deputado estadual por São Paulo, entretanto, não obteve os votos necessários para conquistar a cadeira.

Adeus

Roberto Leal morreu aos 67 anos, devido a uma insuficiência hepato-renal originada de um melanoma maligno (câncer de pele).

Em certo estágio do câncer, o fígado foi atingido.

Recentemente, submetia-se a tratamentos de radioterapia, cujas consequências afetaram-lhe a visão do olho direito.

O último suspiro foi na madrugada do dia 15 de setembro. Estava internado no Hospital Samaritano, no bairro do Pacaembu, zona oeste de São Paulo. Deixa três filhos e a esposa, Márcia Lúcia, com quem viveu por 45 anos.

Em torno das 13h40, o caixão de Roberto Leal deixou o bairro da Liberdade numa viatura do Corpo de Bombeiros. Presentes na Casa de Portugal soltaram aplausos e cantaram seus maiores sucessos. O descanso final do cantor de voz suave e de personalidade contagiante e magnética aconteceria no Cemitério de Congonhas, zona sul de São Paulo.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo