Mais um caso de feminicídio ocorreu na última sexta-feira (3), em Campinas, no interior de São Paulo. Camilla Rodrigues Barros, de 29 anos, foi morta a tiros pelo ex-namorado Luiz Pereira da Silva, de 40 anos. De acordo com o portal UOL, após efetuar os disparos contra a jovem, o autor do crime tirou a própria vida.

Segundo a Polícia Militar, a equipe foi acionada para atender uma ocorrência de assalto, porém, ao chegarem ao local, se depararam com dois corpos baleados. A jovem foi encontrada sem vida pelos agentes, já o homem chegou a ser socorrido ao Hospital das Clínicas, porém não resistiu aos ferimentos.

Camilla Barros era natural de Piauí, mas residia e trabalhava em Campinas atualmente. A jovem era formada em administração. Segundo informações de Elaine Silva, prima da vítima, Luiz da Silva não aceitaria o término do Relacionamento com a jovem.

Irmã lamentou a morte da jovem

Segundo o portal UOL, Dayanne Barros, irmã de Camilla Barros, usou as redes sociais para comunicar a morte da jovem. Dayanne afirmou que sua irmã teria sido brutalmente assassinada: "O ex-namorado dela tirou a vida dela no trabalho, estamos sofrendo com a perda", desabafou.

Ainda de acordo com Elaine, prima da jovem, o relacionamento entre Camilla e Luiz teria durado cerca de dois anos. Após o término, a vítima estaria sofrendo uma série de ameaças por parte do ex-companheiro.

De acordo com informações da Polícia Militar, Luiz da Silva trabalhava como motorista de aplicativo e teria efetuado os disparos com uma arma de calibre 38.

O caso foi registrado na 2ª Delegacia de Defesa da Mulher de Campinas, que foi responsável pela realização de perícia no local e deverá prosseguir com as investigações sobre o crime.

De acordo com o UOL, a Secretaria de Segurança Pública e o Tribunal de Justiça de São Paulo não soube informar se a vítima já havia pedido medida protetiva contra o ex-companheiro. O corpo de Camilla de Barros foi sepultado no último sábado (4), no Cemitério Parque de Hortolândia, em São Paulo. Já o corpo de Luiz Pereira da Silva foi sepultado no Ceará.

Feminicídio no Brasil

De acordo com o portal R7, a taxa de feminicídio no Brasil é a 5ª maior do mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde. Em 2019, os crimes de feminicídio teriam aumentado cerca de 30% em São Paulo em relação ao ano de 2018. Segundo a Secretaria da Segurança Pública, 121 mulheres teriam sido mortas no estado em crimes cometidos por maridos ou ex-companheiros dentro de casa. Estudos apontam que 8 em cada 10 mulheres são assassinadas por seus companheiros na frente dos filhos.

No último dia 8 de dezembro ocorreu em São Paulo a terceira edição da Caminhada pelo Fim da Violência contra as Mulheres. A mobilização ocorreu em 26 cidades brasileiras.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Vagas
Seguir
Siga a página Relacionamento
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!