Um dos crimes mais conhecidos no cenário nacional parece não ter chegado à resolução final. O assassinato de Eliza Samudio ainda é notícia e deixa uma série de perguntas no ar. A modelo desapareceu em 2010 e as investigações concluíram que Eliza teria sido morta. O goleiro Bruno Fernandes foi condenado há mais de 20 anos de prisão acusado de ser o mandante do crime. À época, Eliza procurou Bruno a fim de que ele assumisse a paternidade de seu filho. O ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, e Luiz Henrique Romão, conhecido como Macarrão, também foram condenados por participação no crime.

De acordo com o site UOL, Bruno Fernandes afirmou que não conhecia o ex-policial e não acreditava em seu envolvimento no crime. Em contrapartida, revelou que Macarrão, seu braço direito à época, seria a chave para solucionar o crime, pois teria sido a última pessoa a estar com Eliza Samudio.

Bruno aponta falta de provas

Ainda segundo o site UOL, Bruno Fernandes voltou a falar sobre o assassinato de Eliza Samudio e fez algumas revelações acerca do caso. Segundo o goleiro, o ex-policial Marcos Aparecido dos Santos não teria envolvimento no caso e que sequer lhe conhecia. Bruno afirmou, ainda, que Bola teria sido associado à morte da modelo por "perseguição" e problemas anteriores com Edson Moreira, delegado responsável pelo caso à época.

O ex-policial foi condenado há mais de 22 anos de prisão acusado de ser o executor do crime e de ter ocultado o cadáver de Eliza. Os restos mortais da modelo nunca foram localizados pela Polícia.

O goleiro Bruno, que cumpre sua pena no regime domiciliar em Varginha, Minas Gerais, afirmou que Bola seria inocente até que lhe provassem ao contrário, pois uma pessoa só poderia ser condenada por algum crime após a polícia ter 100% de certeza acerca da autoria.

O goleiro disse, ainda, que não havia nenhuma prova que ligasse o ex-policial ao caso. Bruno acredita que à época do júri, haveria um apelo da sociedade para culpabilizar alguém no caso, e que Macarrão teria mentido em juízo ao dizer que ele era o mandante e bola, o executor do crime.

Macarrão saberia a verdade

Bruno Fernandes e Luiz Henrique Romão, o Macarrão, eram amigos de longa data à época do crime. Após as prisões, passaram a trocar acusações durante os depoimentos. O goleiro fez questionamentos sobre os motivos que levam Macarrão a não revelar a verdade, já que ele teria sido a última pessoa a estar com Eliza: "por que ele não fala onde ela está então?". De acordo com Bruno, Macarrão saberia de toda verdade, e inclusive, teria lhe contado o que houve com a modelo, mas que caberia a ele revelar tudo o que aconteceu e esclarecer o caso.

Siga a página Famosos
Seguir
Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Futebol
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!